Loading...

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Por uma Igreja CEBs - Com justiça e profecia

































1. Comunidades Eclesiais de Base,
Eu as saúdo e resumo com a frase
“Justiça e profecia a serviço da vida”,
De Deus Pai-Mãe, imagem refletida.
Saudamos vocês, participantes,
Que levam este projeto adiante
Nas CEBs e grupos de reflexão
Concretizando a missão.

2. No método Ver-Julgar-Agir
Todos podemos sentir
A importância deste evento,
Por certo, precioso momento
De acolhida da Palavra de Deus
A nós filhas/filhos seus,
Iluminando a realidade atual
Para discernir entre o bem e o mal.

3. Esta trajetória de Igreja
De base, acreditamos que seja,
Em 50 anos de história,
De fé em Deus e de vitória.
A luz do profeta Jeremias,
Que ilumina nossos dias,
Põe em nossas bocas suas palavras
Pra seguir nas suas pegadas.

4. Deus da vida que revoa nos ares
E que mergulha nos mares,
Que se move em toda a terra
Desde sempre, em nós todos gera
Sonho de ternura e solidariedade:
A terra sem males, nova sociedade,
Sem senhores nem escravos,
Pela mão do Senhor todos salvos.

5. Igreja-CEBs e Grupos de Reflexão
São decisivos na libertação
Do povo que luta pela vida
Rumo à terra prometida.
Que a América Latina renasça
Das culturas e fé das massas,
Com Jesus, na mesma estrada,
Luz de vida e caminhada.

6. Lembramos nesta introdução
O encontro dos Grupos de Reflexão
É um forte momento Eclesial,
Em comunhão com nosso Regional.
Preparamos o 13º.
Intereclesial, novo luzeiro
A encher o trem das CEBs de brilho
E prosseguir nos mesmos trilhos.

7. Nas diretrizes da CNBB
Estão as CEBS. É pra valer!
Nós, discípulos/as  missionários do Senhor,
Que nos chamou com muito amor,
Entre inúmeros desafios
Que nos causam medo e arrepios,
Prestemos atenção para isto:
Nossa vida dá testemunho de Cristo?

8. Em 2014, no mês de janeiro,
Teremos um fato pioneiro
O 13° Intereclesial.
Um acontecimento especial,
Lá no Ceará, na Diocese de Crato.
Queira Deus, nós lhe somos gratos,
Estarmos em CEBs reunidos – que sorte! –
Lá perto de Juazeiro do Norte.

9. Desta caminhada de nossa Igreja
Por mais desafiante que ela seja
Emerge um povo, na fé teimoso
E na ação bem corajoso
Com unidade na diversidade
E esperança na Comunidade,
Seguindo do evangelho a ética
E de nosso Deus, a voz profética.

10. Queremos vivenciar a cada dia
O tema da justiça e profecia
Com ação das CEBS em nosso Estado.
Pois, nos redutos do Contestado
As Missões de João Maria,
Profeta da época e de nossos dias,
Deixaram marcas da resistência
Despertando-nos nova consciência.  

11. 2012, centenário do Contestado!
Este fato consolidado
Incorpora mística e religiosidade,
Do Reino, a possibilidade.
Jesus, entre os povos esquecidos
Ecoa sua voz, em seus gemidos.
Nesse olhar da fé vai a luta dos irmãos
Construindo  a transformação.

12. Lembramos o Vaticano II
Há cinqüenta anos, foi para o mundo
Uma surpreendente primavera.
Igreja comprometida aqui na terra,
Despertou entusiasmo nas lideranças
Renasceu nos oprimidos a confiança
E na nossa igreja, mais autenticidade
No projeto de Jesus, de verdade.

13. Temos longo caminho a percorrer
Muita coisa boa, pra acontecer.
As lideranças, ter mais coragem,
Ter opção e a verdade na mensagem.
Como Igreja ter a postura política
Se for preciso, denúncia e crítica.
E uma grande participação
No poder popular por transformação.

14. As CEBS, inseridas neste contexto
complexo e cheio de pretextos -
Mudanças profundas e rápidas,
A globalização e suas práticas.
Na fragmentação sociocultural
Vale é o subjetivo, o individual
A aparência no estético,
Pouco ou nada de senso ético.

15. CEBs, nascidas em contexto rural,
Enfrentando hoje desafio brutal
Mudou a condição do ser humano
Concentrado em centros urbanos.
Como repassar CEBs, o caminho,
Às novas gerações com carinho?
E os jovens assumirem ações
De avançar nas transformações
Deste país injusto e desigual
Mudando o modelo estrutural.

16. SC, economia diversificada,
Com progresso, mas a gente explorada.
Males ocorridos noutros Estados
Também aqui são identificados.
Agricultura camponesa é fonte de produção
Mas é o agronegócio que dá a direção.
Proliferação das barragens,
Privatização da água, com várias imagens.

17. No campo político dos Estados
Não conseguimos ter avançado
No poder democrático popular,
Mas não se pode desanimar.
Com mais clareza política e confiança
Construiremos a mudança:
Sem os figurões políticos conhecidos
Não mais seremos eternos iludidos.

18. Quanto ao nosso chão ecológico
Há muito discurso demagógico...
O que não é de se estranhar,
Pois há os que querem se beneficiar...
Sabemos que as mudanças climáticas
Exigem mudanças em nossa prática
Não dá pra ficar num meio termo:
Vamos cobrar ações do governo.

19. Fortes mudanças da temperatura
Deixam tantas vidas inseguras.
O desmatamento destrói a biodiversidade
E a vida do planeta. Que crueldade!
Como CEBS, sabemos o que fazer
O nosso projeto, todos conhecer.
Assim, as mudanças vão acontecer
Nós sabemos que esperar não é saber!...

20. Em nosso chão maravilhoso -
Estou falando no campo religioso -
Vemos o  poder dos meios de comunicação
Como grandes formadores de opinião
Falam em clericalismo e tradicionalismo,
Confusão de crenças e pluralismo.
Mas, quem crê em Deus, luta pela vida
Assume a causa da terra prometida.

21. Nesta busca estejamos atentos,
Não só seguir a direção do vento...
Há um conjunto de pastorais
Mas precisa pastoral de conjunto.
A atuação das mulheres na Igreja
Confirmam as CEBS, com certeza;
Fortalece a Igreja de base, os conselhos,
Nova força mesmo refletida neste espelho.

22. Diante da estrutura imensa
Nossa consciência fica tensa
O tempo passa depressa, e avança...
Investir na formação das lideranças
E no espírito missionário é um pedido,
Ações populares pela vida dos excluídos,
Reavivar a chama da fé e esperança
E outro mundo com justiça se alcança.

23. Celebrar bem nossas liturgias
Se não for assim, tornam-se vazias...
Frente a tantas injustiças gritantes,
Não celebrar de modo alienante.
Em nossas Comunidades Eclesiais
Precisamos assumir a causas sociais,
Dos indígenas e outros que perdem o espaço
Com eles, defendendo-os passo a passo.

24. No método ver, julgar e agir
O nosso julgar faremos a seguir.
Vimos muito da atual realidade
Que desafia a nossa capacidade.
Queremos julgar com coerência
Para avaliar precisa competência
E, no final, agir com a fé de Jesus,
Discernir pra melhor seguir essa luz.

25. Jesus é a razão do nosso ser
Vale a pena se comprometer
Conhecer a realidade social
E o projeto de nossa fé eclesial.
Esta é a origem do nosso agir
Motivo de nosso pensar e sentir
Jesus Caminho, Verdade e Vida
Vale apena sua missão assumida.

26. O Deus da vida guia nossos passos,
Ele nos envia no grande abraço;
Manifesta-se em várias situações,
E nos concede as motivações.
Na prática da Evangelização
Nossa Igreja precisa da conversão
A nossa fé não se reduz ao ver
Mas é fazer a mudança acontecer.

27. Evangelização, atividade conflitiva
Quando abraçamos a defesa da vida
Amar os pobres e os pequenos
Especialmente no tempo que vivemos.
“Tive fome, e não me destes de comer”,
Entendemos o que é preciso fazer.
Anunciando o Deus verdadeiro
Liberta-se da hipocrisia por primeiro.

28. Igreja: nova forma organizacional
É mudança exigida no tempo atual.
Deixa de ser Igreja se não é comunidade
Igreja é o fermento na sociedade.
A conversão provoca em nós este sinal –
Instrumento de renovação espiritual:
Na articulação dos grupos de família
Aí se faz o exercício da partilha.

29. A igreja CEBS, diferente da institucional,
Provoca a renovação social;
É celebrativa, ministerial e profética;
Evangeliza as famílias, igreja doméstica.
Exige de nós ações de emergência
Pautadas nas cinco urgências.
Igreja em permanente estado de missão.
Com equipe de anúncio e coordenação.

30. São ações para a igreja inteira
Com planejamento, seguimos em fileira.
Mostram o rosto de Cristo nos sofredores
O seu projeto de vida aos seguidores.
Os sinais do Reino Deus na história
Nos garantem a chegada da vitória.
Com negros, índios e marginalizados
Vivemos a missão a que somos chamados.

31. A raiz de nossa espiritualidade
É a experiência de Deus das comunidades.
A mística que nos alimenta é celebrada
No sonho da sociedade libertada.
Ao clamor dos que sofrem injustamente
Não podemos estar indiferentes.
Se somos de fato comunidades cristãs
A liturgia encarnada nos faz irmãos e irmãs.

32. As comunidades das santas e santos
De nossos mártires já são tantos...
Precisamos enfrentar tantos desafios
Não ser medrosos e arredios.
Vemos e sentimos as contradições
Nas mais variadas situações.
Como reposta, um projeto popular
Incluído em nosso evangelizar.

33. Como CEBS, resgatamos as raízes
Mesmo entre dificuldades e crises.
Dali emerge a pastoral popular
De fora pra dentro, com o povo a caminhar.
A Igreja cresce no meio do povo.
Não se trata de um projeto novo
É o projeto de vida que vem da realidade
Como lá nas primeiras comunidades.

34. A fé se faz ação transformadora
Em meio às tempestades ameaçadoras;
Faz alvorecer nova Páscoa florida
De justiça e profecia a serviço da vida,
De alegria e paz permanentes
No coração da nossa gente.
Está o estado contínuo de missão,
A nova sociedade em construção.

35. A essência dos Grupos de Reflexão
É o caminho e também a expressão
Das CEBS nas Dioceses; traz a memória
Da caminhada feita na história.
CEBs, Lugar da bíblica animação
Da vida e  pastoral, com oração e ação,
Para ir ao encontro dos afastados
Empobrecidos, sofredores, desprezados

36. Para o convívio fraterno e solidário
É importante e necessário:
Repensar a metodologia e ação,
Com planejamento e participação
Na vida comunitária e paroquial
Que tem por base a ação pastoral;
Refletindo a partir da realidade,
Para nova prática em comunidade.

37. Nucleação, mas unidade pastoral;
Comunidade, por afinidade ou territorial;
Favorecer as comunidades ambientais
Levando em conta os fatores locais.
Identificados pelo compromisso de fé
Com o projeto de Jesus de Nazaré
No serviço da promoção humana e social
Vivenciamos a conversão pastoral.

38. Com a convivência e cooperação
Entre etnias, culturas e religiões,
Formemos grupos de famílias
Ecumênicos, na Palavra e partilha,
Praticando a entreajuda e a oração
Pela unidade fraterna dos cristãos,
Com a vida e pastoral de conjunto
Na diversidade, mas sempre juntos.

39. Os conselhos nas comunidades
Carecem de empenho e criatividade,
Diálogo entre pastorais e movimentos
Com fidelidade no seguimento.
Unindo nosso compromisso e oração
Participamos na tomada de decisão
Que haja justiça e profecia a serviço da vida,
Romeiros e romeiras rumo à Pátria definitiva!

40. Na família e comunidade eclesial
No trabalho ou movimento social
Crianças, mulheres, homens, em geral
Por justiça, rejeitemos o neoliberal.
Juntos, gente do campo e da cidade,
Queremos o céu aqui na comunidade
E que Deus nos ilumine e ajude
Para termos vida em plenitude.

41. Você que é convidado a participar.
Prepare-se, e vai lá pra ajudar.
É oportunidade impar na caminhada,
Aproveite a vez que lhe foi dada.
Não vá para fazer um passeio
- Isso é prejuízo e fica muito feio.
Mas nos ajude a ensinar e aprender
E as comunidades vão nos agradecer.

42. Que Maria, Mãe do ressuscitado,
Nos dê força e  esteja ao nosso lado.
Que Deus Pai-Mãe, seu Filho Jesus
E o Espírito Santo nos deem sua luz
Ajudem-nos a reacender a chama da fé,
A lutar pela vida com Jesus de Nazaré,
Ter a paixão pelo Reino sem medida
Com Justiça e profecia a serviço da vida.

Poema organizado a partir do texto base do 11º encontro estadual de CEBs, por Victorino Maraskin,
Galvão, SC – em fevereiro de 2012. Reorganizado por Reneu Zortea e Ivo Oro, em maio de 2012

Nenhum comentário: