Loading...

quinta-feira, 4 de junho de 2015

CEBs fazem memória do 7º Intereclesial em Duque de Caxias -

02
As Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Diocese de Duque de Caxias (RJ) celebraram no último domingo, 1º de junho, no Colégio Santo Antônio, os 25 anos da realização, na Diocese, do 7º Intereclesial de CEBs, que à época teve como tema “Povo de Deus na América Latina a caminho da libertação”. O evento fez memória da caminhada da Igreja e todos puderam compartilhar lutas e desafios atuais das comunidades, paróquias, pastorais e movimentos sociais na Baixada Fluminense ao longo de mais de duas décadas de experiências, revelando com mais clareza a situação de sofrimento e resistência em prol da construção do Reino de Deus.
O encontro reuniu ainda representantes das Cebs das dioceses de Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Valença e da Arquidiocese do Rio de Janeiro e foi aberto com a celebração do Ofício Divino das Comunidades. A Fraternidade Santo Antônio de Duque de Caxias, vinculada à Ordem Franciscana Secular (OFS), e o frei Evaristo Splenger, OFM, também estiveram presentes no encontro celebrativo.
03Para assessorar o evento foi convidado o professor de teologia da PUC e assessor nacional das CEBs, Celso Carias, que fez uma abordagem teológica da experiência cristã a partir da realidade urbana moderna e os desafios que se apresentam em espaços marcados marcadas por profundas modificações culturais e sociais que precisam ser melhor compreendidas para que as Cebs possam dialogar e conviver com as diferenças sem perder sua identidade e mística. Para o professor, o jubileu de prata do 7º Intereclesial de CEBs se insere no contexto da eclesiologia do Vaticano II para atualizar a Igreja e adaptá-la ao mundo atual.  “O método “VER”, “JULGAR” e “AGIR”, mostra que ao conjugar estes verbos as CEBs também estão preparadas para fazer uma avaliação e uma análise crítica e crítica e frutífera da memória histórica dessa caminhada” – afirmou.
Após a palestra, os participantes celebraram a histórica caminhada das CEBs na Baixada Fluninense com a missa presidida por Dom Tarcísio Nascentes dos Santos, bispo da Diocese de Duque de Caxias, e  concelebrada por Dom Mauro Morelli, bispo emérito da Diocese de Duque de Caxias, Dom Luciano Bergamin, bispo da Diocese de Nova Iguaçu, padre Bernard Colgan, e por diáconos das duas dioceses. Em sua homilia, Dom Tarcísio destacou que a Igreja reconhece e louva o esforço das pequenas comunidades em viver a fé cristã e o anúncio do Evangelho de uma maneira autêntica, unida aos tesouros da Tradição e do Magistério da Igreja, partilhando a vida, as experiências e as reflexões.
01
A conferência de Aparecida valorizou as CEBs como “expressão visível da opção preferencial pelos pobres; elas são fonte e semente de variados serviços e ministérios a favor da vida na sociedade e na Igreja” (DA 179). Nessa perspectiva, a proposta da organização das CEBs em rede de comunidades dá mais espaço aos leigos e oferecem uma melhor presença eclesial no território; esse processo se dá pela organização das famílias em grupos de reflexão bíblica, celebração litúrgica e serviços missionário ou pastoral.
Ao longo do dia, assessores, lideranças  e representantes realizaram debates dos grupos e trouxeram para a plenária testemunhos de luta, desafios e esperanças, cuja experiência continua sendo um grande valor para essas  comunidades, para a Igreja latino-americana e para a sociedade. O 14º intereclesial das Cebs será realizado de 23 a 27 de janeiro de 2018, na Cidade de Londrina, Paraná, e terá como tema: “CEBs e os desafios no mundo urbano”, e o lema: “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7). será: “CEBs e os desafios no mundo urbano”, e o lema: “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7).
Cláudio Santos,