Loading...

terça-feira, 22 de maio de 2012

Arquidiocese de Brasília promove seu 4º Encontro das Comunidades Eclesiais de Base

No dia 19 de maio, em Santa Maria, cidade satélite de Brasília (DF), mais de 200 representantes das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s) da arquidiocese de Brasília se reuniram para partilhar e celebrar a vida e a caminhada, e ainda estudar a temática de como praticar a justiça em um mundo de desigualdades.
Coordenado por um dos assessores da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, da CNBB, padre Nelito Dornelas, o encontro contou ainda com a presença do arcebispo de Brasília, dom Sérgio da Rocha e do secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Leonardo Steiner, que impulsionaram as CEB’s no compromisso libertador com os pobres, sendo um jeito profético de ser Igreja, a luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE).
“A justiça se passa pela vivência do Reino, na busca pelo bem comum e na força da comunidade. Uma justiça que emerge como consequência das lutas do povo e que garante para eles mais direitos e dignidade. Irmanados com os movimentos sociais e populares, especificamente com o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), e também com as pastorais da Igreja, voltamos as nossas comunidades reanimados na certeza de sermos Igreja e Povo de Deus”, destacou o padre Nelito Dornelas.
Ao final do encontro foi divulgada uma carta dos participantes do encontro:
Queridos/as companheiros/as de caminhada,
Na luta pelos nossos direitos buscamos a justiça que se encontra no meio do povo!!!  É com esta convicção e animados pela força do Ressuscitado que cerca de 200 representantes voltam para suas comunidades de fé para continuarem a impulsionar a Comunidades Eclesiais de Base.
Viemos de 08 cidades do DF e de seu entorno, unidos/as pela beleza e pelo serviço de sermos Igreja Povo de Deus nesta terra cerradeira em comunhão e sintonia com a Arquidiocese de Brasília. Somos leigos/as, religioso/as, padres e bispos que reafirmam a luz do Vaticano II e das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil o jeito profético e libertador de estar e ser com os pobres, corpo místico e militante da Igreja.
Acolhidos/as pelas CEBs de Santa Maria, na paróquia de São José, fizemos acontecer o 4º Encontrão das CEBs cujo tema foi “como praticar a justiça num mundo de desigualdades”.
Destacamos aqui a presença terna e comprometida do Dom Sérgio e do Dom Leonardo que em nosso meio nos impulsionaram a vivermos nossa fé de maneira inculturada junto dos/as pobres, no serviço da Igreja Libertadora, como CEBs.
Também nos irmanamos com os/as acampados/as do Novo Pinheirinho, na Ceilândia, que com o MTST, nos ajudam a lutar pela vida digna para o povo. Em comunhão com eles/as reafirmamos nosso compromisso de sermos cristãos/ãs, conforme o ensinamento de Jesus  sobre o Reino de Deus, estando junto de quem necessita, para que todos Nele tenham vida e vida em abundância.
Reafirmamos que cremos num outro mundo possível e necessário, com a garantia dos direitos, na busca da justiça, que pautada nas virtudes capitais nos garanta o seguimento fiel ao Nazareno. Uma justiça que se espalha com a força de nossa luta que é consciente, organizada, mobilizadora, reivindicante e que ocupa lugares estratégicos de/no poder, visando a transformação da sociedade.
Na busca do bem viver, almejamos a paz e paz como aprendemos com nossos/as irmãos/ãs indígenas, que se preocupa com o bem de todos/as e de cada um/a, pensando em toda a criação e em todas as gerações.
No embalo da cultura popular e religiosa, nos dispomos a superar as dificuldades, a lutar contra a opressão do poder do capital e apoiarmos os movimentos sociais e populares. Reafirmamos nossa mística e espiritualidade libertadora que nos aproxima dos/as irmãos/as mais necessitados, enxergando neles/as o Povo de Deus.
Assim rechaçamos os 07 pecados capitais da contemporaneidade, citados pelo irmão de caminhada Mathatma Gandi: a riqueza sem trabalho, o prazer sem escrúpulo, o comércio sem ética, a ciência sem humanidade, o conhecimento sem sabedoria, a política sem idealismo e a religião sem sacrifício. Cremos que neste tempo em que viveremos a Rio + 20 e a Cúpula dos povos, nossa contribuição é pensar numa outra sociedade, alicerçada nos ensinamentos do Moreno de Nazaré que nos faça pautar a vida em primeiro lugar.
Com o grito de luta, “criar, criar, o poder popular”  e celebrando a Eucaristia, nos colocamos como irmãos/as numa mesma mesa, partilhando nossas vidas, lutas e sonhos. Alimentados da Palavra e da utopia seguiremos caminhando rumo a Terra Sem Males, a Civilização do Amor.
Na solenidade da Ascensão do Senhor.
CEBs da Arquidiocese de Brasília.

Nenhum comentário: