Loading...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Jornal Cantareira: edição nº 21 destaca 10º Intereclesial das CEBs

A edição n° 21 do Jornal Cantareira, que circulou em agosto de 2000, destacou a realização do 10° Intereclesial das CEBS, entre 11 e 14 de julho, em Ilhéus, na Bahia. O jornal publicou trechos da carta divulgada pelos participantes ao final do encontro e trouxe reportagem sobre os desafios apresentados no evento.

“Entre os vários compromissos assumidos pelos regionais, indígenas, negros e evangélicos, estão o resgate da identidade das CEBs; fortalecimento da mística, da organização e da articulação das comunidades; formação bíblico-teológica e acompanhamento de lideranças, de forma sistemática e construção de relações igualitárias entre mulheres e homens, na Igreja e na sociedade”, apontava a chamada da capa do jornal.

Na reportagem sobre o evento, leigos participantes da Igreja Católica na Região Brasilândia descreviam as experiências vivenciadas em Ilhéus. “No encontro, deu para conhecer melhor a vida das pequenas Comunidades Eclesiais de Base do Brasil e até mesmo de países pobres onde os governos sugam o sangue dos trabalhadores. Deu para trazer na bagagem bastante coragem para continuar a luta nas comunidades sofridas da Brasilândia”, apontava Salvador Pimenta.

Capa da edição n° 21, agosto de 2000

Outros destaques sobre as articulações de âmbito religioso foram um texto sobre o sentido da vocação religiosa, familiar e social; a atuação da pastoral afro na nova evangelização; e a realização do 2° Mutirão Brasileiro de Comunicação, no bairro de Santana, que reuniu cerca de 700 pessoas para refletir sobre o tema “Solidariedade na Aldeia Global”.

O jornal também retratou as lutas populares na periferia, com destaque para a conquista de regularização da moradia de 498 famílias da Vila Esperança, na zona noroeste, após passarem por despejos e batalhas contra reintegrações de posse. “Hoje 67 famílias estão com seus terrenos quitados. Há muitas famílias que pararam de pagar. Destas, aproximadamente 20% não tem condições financeiras para pagar o seu lote. Há ainda 30% que têm condições de contribuir e não fizeram e por não pagar terminaram sua casa, possuem até automóvel”, constatava a reportagem, afirmando que o dinheiro dos inadimplentes seria investido no ressarcimento das outras famílias e, posteriormente, na documentação e melhoria do bairro.

O jornal trouxe ainda reportagens sobre os preparativos para o 6° Grito dos Excluídos, que se realizaria em 7 de setembro daquele ano; sobre os quatro anos de atuação do Fórum da Cidadania da Região Noroeste; falou dos cursos promovidos pela Associação Cantareira junto a jovens da periferia; riscos para as crianças que brincam nas ruas; e do aumento dos casos de AIDS em todo mundo. “A maioria das pessoas infectadas com o vírus, ou doentes, no Brasil, são pobres e não conseguem recursos públicos para o atendimento, nem para a prevenção ou tratamento”, apontava a reportagem, na qual havia citação a um relatório internacional dando conta que nos países subdesenvolvidos existima 44 milhões de crianças órfãs de pais vitimados pela AIDS.

Na contra-capa, o jornal polemizava as raízes históricas do poderio financeiro das principais nações do planeta e fazia chamada para a participação no Plebiscito da Dívida Externa, que se realizaria de 2 a 7 de setembro daquele ano. “Serão colocadas três questões, para provocar nossa opinião. A primeira sobre o acordo do Brasil com o FMI. A segunda sobre a auditoria que a Constituição de 88 pediu para fazer, e que não foi feita até hoje. E a terceira sobre a dívida interna, relativa aos altos pagamentos que todo mês nossos governos fazem aos especuladores dentro do Brasil”, explicava a reportagem.

A agenda de atividades religiosas e populares e as cartas dos leitores também tiveram espaço no jornal. “Sou morador na região há muitos anos e estou muito contente em saber que tem uma equipe séria que está preocupada com a nossa situação. Eu acho que o Jornal Cantareira está fazendo o papel de todos os jornais e que outros meios de comunicação da região não fazem. A maioria está aliada com políticos e aí tem que rezar a cartilha dos mesmos”, opinou Amauri dos Anjos, da Vila Brasilândia.

Distribuído em 5 mil exemplares, a edição n° 21 do Jornal Cantareira foi produzida com os trabalhos de Aureliana Gabriel, Cilto José Rosembach, Miriam de Oliveira, Angélica Mortel, Juçara Terezinha, JAL, José Antonio de Oliveira, José Eduardo de Souza e Maria Leidenete Goes, além de textos e fotos dos seguintes colaboradores: Luiz Antonio Zimermann, padre Alberto Abib Andery, Alderon Pereira da Costa, Célia Aparecida Leme, Edson dos Santos, Paulo R. Schilling, Douglas Mansur e dom Luiz Demétrio Valentini.


Fonte: Associação Cantareira

Nenhum comentário: