Loading...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

China: Comunidade católica engajada na prevenção, apoio e cura da Aids

Shi Jia Zhuang, 02 dez - A comunidade católica continental chinesa está sempre na linha de frente na prevenção da Aids, no apoio, na ajuda e nos cuidados médicos aos doentes ou contagiados pelo vírus. Segundo as informações apuradas pela Agência Fides com o testemunho dos católicos neste campo, os não-católicos também estão sendo sensibilizados sobre o tema.

Em perspectiva do Dia Mundial contra a Aids, que se celebra em 1° de dezembro, a catedral da Diocese de Tai Yuan, da província de Shan Xi, lançou uma campanha de “prevenção total, cuidado ativo e eliminação da discriminação”, rumo ao “Zero Aids”.

Segundo o sacerdote encarregado, “com esta campanha queremos sensibilizar as pessoas para que compreendam o grande significado da vida e entendam sobretudo que o Senhor nos deu a vida, que é preciosa. Os doentes e os contagiados também são vítimas, eles são os menores de nossos irmãos, e é um dever sermos ‘bons samaritanos’ com eles”.

Há anos, a Igreja católica chinesa, com o Escritório de prevenção e combate à Aids da Jinde Charities, organismo caritativo católico chinês, se dedica com todos os meios ao combate da Aids no continente. Há cerca de um mês, as irmãs do Escritório visitam periodicamente as aldeias aonde se concentram os doentes de Aids.

Em 16 de novembro, o Escritório foi autorizado oficialmente por algumas associações civis a administrar um fundo de caridade destinado a uma menina órfã por causa da Aids. Em 23 de novembro, em colaboração com o Instituto da cidade de Shi Jia Zhuang, o escritório organizou uma conferência da qual participaram 300 estudantes universitários e voluntários de 8 faculdades.

O Escritório da Jinde Charities criou nestes anos uma rede de atividades com cursos (destinados a casais unidos pelo matrimônio, noivos, jovens universitários, trabalhadores migrantes...), encontros (com entidades semelhantes, autoridades, doentes, agentes pastorais, voluntários católicos...), manifestações públicas (em paróquias, Dioceses ou comunidades eclesiais de base, em colaboração com as autoridades locais), ao lado da coordenação da obra de apoio aos doentes em clínicas especializadas. Até o fim de dezembro, 10.050 pessoas participaram da formação oferecida pelo Escritório. Dentre elas, 500 são doentes de Aids e órfãos.

Algumas congregações religiosas também dedicaram grande parte de suas atividades ao combate desta doença não apenas do ponto de vista médico, mas principalmente moral e espiritual, seguindo o ensinamento cristão e mantendo uma estreita colaboração com entidades sociais nacionais e internacionais, como o Hospital De Tai de Pequim, especializado na cura da Aids.

A Congregação das irmãs de São José, da Diocese de Shi Jia Zhuang, é uma das muitas realidades católicas ativas neste campo, que comove toda a população. As religiosas trabalham no Hospital De Tai e em muitos outros Centros de Acolhida para os aidéticos em todo o país, inclusive administrados por budistas.

Em 2008, alguns universitários budistas ficaram admirados e surpreendidos ao acompanhar as religiosas em sua habitual visita a 40 famílias de uma aldeia onde muitos foram contagiados pela Aids. Hoje, os jovens constituem um anel de ligação entre católicos e budistas para difundir os princípios da prevenção da Aids. As filiais do Escritório de prevenção e combate a Aids da Jinde Charities estão espalhadas hoje por todo o continente.

Um detalhe interessante a se observar é que os voluntários não são todos católicos, e portanto, as verbas provêm e são administradas por todos. Assim sendo, além de gozar de uma boa reputação, o Escritório é também um testemunho vivo da colaboração possível entre a comunidade católica e a sociedade. Segundo a última estatística publicada pelo Ministério da Saúde chinês, até fins de outubro de 2010, estavam registrados no continente mais de 370 mil doentes e contagiados pela Aids e 68 mil casos de morte.

Nenhum comentário: