Loading...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

CONGRESSO CONTINENTAL DE TEOLOGIA - 2012

CONGRESSO CONTINENTAL DE TEOLOGIA

50 anos do Vaticano II e 40 anos da Teologia Latino-americana
8, 9, 10 e 11 de outubro de 2012
UNISINOS, São Leopoldo, RS, Brasil

1. Justificativa

O ano de 2012 será um ano muito significativo para a Igreja na América Latina e no Caribe: são os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II, realizada pelo papa João XXIII, e os 40 anos da publicação do livro de Gustavo Gutiérrez – Teologia da Libertação. Perspectivas –, que inaugura a rica trajetória da teologia em nosso Continente. Para celebrar estes dois acontecimentos que marcaram a Igreja em geral, particularmente na América Latina, a Ameríndia propõe a realização de um Congresso Continental de Teologia.

As duas referências comemorativas dão a perspectiva do evento: reler a partir do novo contexto em que vivemos, a tradição latino-americana tecida em torno da recepção criativa do Vaticano II por Medellín, pelas práticas das comunidades eclesiais inseridas em um contexto de injustiça social, a centralidade da Palavra e a leitura popular da Bíblia, a opção pelos pobres, o testemunho dos mártires das causas sociais e a nossa peculiar reflexão teológica, em chave libertadora.

Com o novo impulso dado por Aparecida à tradição latino-americana, o momento atual é muito oportuno para mobilizar a comunidade teológica no Continente, depois de anos particularmente difíceis, marcados por tensões, desencantamentos, falta de perspectivas, dispersão e inclusive certa desmobilização dos teólogos e das teólogas.

A finalidade do Congresso Continental não é fazer um balanço da trajetória da teologia na América Latina e no Caribe. Em grande medida, esta difícil e importante tarefa já foi feita em diferentes congressos nacionais e internacionais, nos últimos anos. O que mais urge, na atualidade, é olhar para o futuro, olhar longe e, portanto, a oportunidade de um Congresso prospectivo, que se pergunte sobre os desafios e tarefas futuras da teologia na América Latina, a partir do nosso contexto cultural, social, político, econômico, ecológico, religioso e eclesial, globalizado e excludente.

A teologia na América Latina e no Caribe não pode perder de vista seu lugar e sua função: como inteligência reflexa da experiência de fé das comunidades eclesiais, inseridas num mundo que exclui as maiorias, necessita continuar sendo instância retro-alimentadora destas mesmas comunidades frente aos seus novos desafios e perguntas, postos por um mundo que passa por profundas transformações.

2. Objetivos

Objetivo geral

* Reunir, em Congresso Continental precedido por Jornadas Teológicas Regionais, a comunidade teológica do Continente em torno do Vaticano II e da teologia latino-americana, para discernir os novos desafios de uma época marcada por profundas transformações e as consequentes tarefas para uma teologia como serviço à Igreja e à humanidade, em um mundo pluralista e globalizado.

Objetivos específicos

* Celebrar os 50 anos da abertura do Vaticano II e os 40 anos da publicação do livro de Gustavo Gutiérrez – Teologia da Libertação. Perspectivas.
* Realizar, no Congresso Continental e nas Jornadas Teológicas Regionais, uma análise da conjuntura cultural, econômico-social e política mundial, particularmente da América Latina e do Caribe, para que a inteligência da fé não perca de vista o real da realidade de nossos povos.
* Propiciar uma análise da realidade eclesial atual, em chave continental e mundial, para identificar os obstáculos e as possibilidades da reforma do Vaticano II e das intuições da teologia latino-americana.
* Reler, a partir do novo contexto em que vivemos, a tradição latino-americana.
* Discernir os desafios e tarefas futuras da teologia na América Latina, a partir do nosso novo contexto cultural, social, político, econômico, ecológico, religioso e eclesial, pluralista, globalizado e excludente.
* Contribuir para que a teologia latino-americana continue sendo instância retro-alimentadora das comunidades eclesiais inseridas no mundo em perspectiva libertadora, frente aos novos desafios oriundos de um mundo pluralista e globalizado.

3. Estratégia: Jornadas Teológicas Regionais em 2011

Para mobilizar a comunidade teológica, em vista do Congresso, serão realizadas Jornadas Teológicas prévias, em 2011, em quatro regiões do Continente, em torno dos mesmos objetivos do Congresso Continental de 2012: uma, no México (DF), para o México e os hispânicos nos Estados Unidos; outra, na Guatemala, para a América Central e o Caribe; uma terceira, em Bogotá, para os países andinos; e uma quarta, em Santiago do Chile, para o Cone Sul e o Brasil.

4. O Congresso Continental em 2012

Para que seja representativo do Continente e mobilize a comunidade teológica, coloca-se como meta, garantir a participação de, pelo menos, cinco teólogos por país, priorizando os mais jovens, mesmo que sem esquecer os teólogos da primeira e segunda geração da teologia latino-americana. Também se pretende, num mundo globalizado, contar com a participação de representantes dos teólogos da Europa, África e Ásia.

Na agenda do Congresso, figura uma temática aberta aos novos tempos, aos novos desafios e perguntas, ao mundo globalizado, ao diálogo com as ciências, as Igrejas e religiões, assim como com as diferentes culturas e povos.

Um congresso de teologia com estas características, consequentemente, implica em espaço de liberdade, criatividade, debate, reflexão conjunta, o que influi sobremaneira na escolha do local de sua realização. Os organizadores e os participantes do evento necessitam sentir-se livres de pressões e influências que possam comprometer seu trabalho de pesquisa. Realizar o evento no Brasil, concretamente na UNISINOS, foi uma alternativa encontrada e definida.

5. Metodologia

Os objetivos do Congresso exigem uma metodologia que combine diferentes dinâmicas: exposições, testemunho de personagens históricos, painéis, oficinas, comunicações científicas, assim como tele-fóruns, celebrações, momentos culturais e festivos, exposições de materiais e bibliografias.

As oficinas têm a finalidade de apresentar, sobretudo, as práticas e iniciativas concretas em curso, por parte de comunidades eclesiais e outras instituições, com o objetivo de fazer emergir os novos desafios e perguntas ao trabalho teológico. Por isso, os apresentadores das oficinas não precisam ser necessariamente teólogos profissionais. O tele-fórum pode complementar esta tarefa.

As exposições constituem o momento da reflexão sistemática, assim como também as comunicações científicas. O enfoque é de cara ao futuro, prospectivo, apontando as tarefas e a agenda da teologia no Continente para os próximos anos.

O Congresso vai privilegiar, igualmente, momentos de interação entre os participantes, com a finalidade de promover o mútuo conhecimento, estreitar relações e estabelecer vínculos duradouros. A criatividade, também na teologia, necessita do intercâmbio permanente de buscas e ensaios de possíveis respostas.

6. Organização

O evento – o Congresso Continental de Teologia e as Jornadas Teológicas Regionais – tem o suporte organizativo de quatro organismos:

* A Comissão Organizadora do Congresso Continental

É composta por algumas instituições do Continente, está encarregada da realização do Congresso Continental e deve ser ponto de contato com as Comissões Organizações das Jornadas Teológicas Regionais, assegurando com isso os objetivos do evento:

– Ameríndia (Fundação Ameríndia) - Montevidéu;
– CLAR - Conferência Latino-americana dos Religiosos - Bogotá, Colômbia;
– SOTER - Sociedade de Teologia e Ciências da Religião - Brasil;
– Instituto Humanitas Unisinos - IHU - São Leopoldo, RS, Brasil;
– ITEPAL - Instituto Teológico-Pastoral para a América Latina - CELAM, Bogotá;
– Pontifícia Universidade Javeriana - Bogotá;
– ATEM - Associação de Teólogos do México - México;
– Movimento Mons. Gerardi-Ameríndia - Guatemala;
- Instituto Alfonsiano - Chile.

* As Comissões Organizadoras das Jornadas Teológicas Regionais

São compostas por algumas instituições da respectiva região do Continente, encarregadas da realização das Jornadas Teológicas Regionais e ser ponto de contato com a Comissão Organizadora do Congresso Continental. Por isso, a instituição que vai ser a sede da Jornada Teológica Regional é membro da Comissão Organizadora do Congresso Continental.

– Jornada Teológica para o México e os hispânicos dos Estados Unidos, no México: Associação de Teólogos do México (ATEM);
– Jornada Teológica para a América Central e o Caribe, na Guatemala: Movimento Mons. Gerardi-Ameríndia, da Guatemala;
– Jornada Teológica para os Países Bolivarianos, em Bogotá: Pontifícia Universidade Javeriana e TEORED, da Colômbia;
– Jornada Teológica para o Cone Sul e Brasil, em Santiago: Instituto Alfonsiano, de Santiago do Chile.

Cada instituição coordenadora de sua Jornada Teológica verá a oportunidade e a necessidade de constituir uma Comissão Regional, composta por instituições dos países que compõem a região, com a finalidade de mobilizar a comunidade teológica e dar suporte ao evento.

* Comissão Local do Congresso Continental

É composta pela instituição sede do Congresso e outras mais próximas, com a finalidade de agilizar e descentralizar o processo de preparação e realização do evento:

– Instituto Humanitas Unisinos - IHU - São Leopoldo, RS, Brasil;
– SOTER - Sociedade de Teologia e Ciências da Religião- Brasil;
– Ameríndia - Brasil-Montevidéu.

* Instituições de Apoio

É a relação de instituição do Continente, que formam a comunidade teológica ou a rede de organizações ligadas à tradição eclesial latino-americana, que são parte integrante do evento, seja enviando participantes, seja brindando apoio logístico ou financeiro.

7. Recursos

A Comissão Organizadora do Congresso Continental é a responsável pela solicitação dos recursos necessários para a realização do evento. Parte deles serão assegurados pelo próprio participante junto à instituição à qual está vinculado.

Os recursos financeiros necessários não cobertos pelas instituições integrantes do evento, sobretudo, para o Congresso Continental, serão solicitados às Instituições de Apoio e Agências Internacionais de Ajuda, mediante a elaboração de projetos.

A Comissão Organizadora.

Nenhum comentário: