Loading...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

50ª Assembleia Geral da CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

APARECIDA - "Será uma assembleia comemorativa", anunciou o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), d. Raymundo Damasceno Assis, cardeal-arcebispo de Aparecida, ao abrir a 50ª Assembleia Geral da entidade nesta quarta-feira, 18, no Centro de Eventos do Santuário Nacional da Padroeira do Brasil.

Além esse cinquentenário, o episcopado vai comemorar ainda nesta reunião, que vai até o dia 26, os 60 anos da CNBB e os 50 anos do início dos trabalhos do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-1965).

Tema central do encontro é "Palavra de Deus na vida e missão da Igreja" - André Lessa/AE
André Lessa/AE
Tema central do encontro é "Palavra de Deus na vida e missão da Igreja"

Realizada pela quarta vez em Aparecida, que desde o ano passado se tornou sede oficial do encontro anual da CNBB, a 50ª Assembleia Geral reúne 335 bispos. O tema central é "Palavra de Deus na vida e missão da Igreja", para uma reflexão sobre a Bíblia como instrumento de evangelização. D. Damasceno ressaltou a importância do tema tanto na sessão de abertura como na missa que a precedeu, às 7h30, na basílica de Aparecida.

Os bispos vão se debruçar igualmente sobre os preparativos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), prevista para a última semana de julho de 2013 no Rio de Janeiro. O arcebispo da arquidiocese carioca, d. Orani João Tempesta, fará um relato sobre o que foi planejado e o que já está sendo feito. O papa Bento XVI - que ao completar 85 anos na última segunda-feira declarou estar entrando na reta final do caminho de sua vida - virá ao Brasil para participar da JMJ. Será sua segunda viagem ao País, pois ele visitou São Paulo e Aparecida em maio de 2007.

Ao relembrar a trajetória dos 50 anosa de assembleias gerais, d. Damasceno afirmou que os bispos sempre enfrentam "ousadia e coragem evangélicas" os desafios da situação brasileira, lutando pelo amadurecimento democrático, pela justiça e pela ética. O cardeal lembrou o trabalho dos pioneiros da CNBB, que foi fundada em 1952 sob a liderança de d. Helder Câmara, então bispo auxiliar do Rio. "Cada assembleia significou uma renovação dos bispos diante dos desafios", observou.

O reitor do Santuário Nacional de Aparecida, padre Darci Nicioli, fez uma descrição geográfica e logística para os bispos, com projeção de slides num telão, das instalações do local da assembleia. Hotéis, transporte, segurança, comunicação, salas de reuniões, tudo foi planejado e oferecido pelo santuário. A partir de setembro, estará disponível o Hotel Rainha do Brasil, de 17 andares, 330 apartamentos e restaurante com 600 lugares para hospedagem dos participantes das assembleias.

Este ano, cerca de cem bispos estão alojados no Hotel WEB, inaugurado por investidores privados em parceria com o Santuário de Aparecida. Os dois hotéis se localizam na Cidade dos Romeiros, um complexo espaço de acolhimento que, ao longo do ano, será utilizado pelos devotos da Senhora Aparecida.

Na tarde desta quarta, o jurista Fábio Comparato, de São Paulo, falará para os bispos sobre a conjuntura política, social e econômica do País. A sessão será fechada, sem acesso para a imprensa. No mesmo horários, haverá uma entrevista coletiva, na qual três bispos, designados pela presidência da CNBB, estarão à disposição dos jornalistas.


Fonte: O Estadão

José Maria Mayrink

Nenhum comentário: