Loading...

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Caminhada dos Mártires presta homenagem ao operário Santos Dias e aos 90 anos de Dom Paulo Evaristo Arns

Padre Josimo, irmã Dorothy Stang, Chico Mendes, Zumbi dos Palmares, Frei Tito, Margarida Maria Alves...a lista seria imensa para mencionar todos aqueles e aquelas que deram suas vidas por um mundo mais justo. Para relembrar a luta dessas pessoas, o 8º Encontro Nacional Fé e Política percorreu as ruas de Embu das Artes (SP), na Caminhada dos Mártires. Esta edição foi dedicada aos 32 anos da morte do operário Santos Dias e aos 90 anos de Dom Paulo Evaristo Arns, referência na luta por direitos.

A Caminhada dos Mártires reuniu cerca de 2.000 pessoas. Com faixas e banners prestando homenagens aos mártires, a marcha chamou a atenção para o fim das injustiças, para o cumprimento dos direitos humanos, para o respeitos aos trabalhadores e trabalhadoras, para a reforma agrária, para a preservação do meio ambiente e, sobretudo, pelo respeito à vida humana.

O padre Jaime Crowe, da coordenação do encontro Fé e Política, afirmou que a Caminhada dos Mártires é importante para que essas lutas não caiam jamais no esquecimento. "É preciso que, a cada dia, possamos aprender mais com nossos mártires, que os tenhamos como exemplos. É preciso fazer com que suas lutas e suas mortes não tenham em vão", disse o padre.

Durante o percurso, houve duas paradas. Numa representantes do Comitê Dorothy Stang, do Pará, deram seus testemunhos e falaram do martírio da religiosa, morta por defender direitos dos povos indígenas no Pará. Na segunda estação, a caminhada parou e contou com depoimentos de povos que estão sendo ameaçados pela construção de grandes obras. A palavra ficou com as indígenas do Movimento Xingu Vivo para Sempre, do Pará, onde está em vias de construção a hidrelétrica Belo Monte.

"Sem dúvida, a memória do Santos Dias continua firme, viva, no meio do movimento. O legado dele se fortaleceu muito, ao contrário dos que os ditadores queriam. Dom Paulo Evaristo é outro marco importante para gente. Ele tem esse compromisso, essa coragem, dedicar a vida dele em prol da população. É mais do justa essa homenagem", afirmou Paulo, da organização da Caminhada dos Mártires.

Santos Dias

Nascido em São Paulo, Santos Dias da Silva foi morto há 32 anos por forças policiais, quando participava de manifestações pela causa operária, em plena ditadura. Desde então, Dias é símbolo de resistência e da luta dos (as) trabalhadores (as).

Dom Paulo Evaristo Arns

Nascido em Forquilhinha, Dom Paulo Evaristo Arns é arcebispo emérito de São Paulo. Sua trajetória é permeada pela ajuda e defesas dos e das excluídas. Aos 90 anos segue firme em seus propósitos. Ele nasceu no dia 14 de setembro.


Rogeria Araujo


Fonte: Adital

Nenhum comentário: