Loading...

sexta-feira, 24 de junho de 2011

2º dia da XXX Assembleia Nacional do Laicato Brasileiro


Neste dia em que celebramos a festa de São João Batista, foram retomadas as atividades da XXX Assembleia Geral Ordinária do CNLB com o momento de oração inicial, coordenado pelo Regional Sul I. Tendo como motivação a temática da CF/2011, a oração nos levou a contemplar a presença de Deus na natureza e a reafirmar o nosso compromisso em favor da vida(...)

Após a apresentação de cada membro dos regionais, Pe. Alfredinho deu continuidade ao tema central da assembleia. Eis os pontos fundamentais de sua explanação:

- "Encruzilhada é tempo de buscar as fontes".

- "Quem está em berço de ouro não enxerga os sinais dos tempos"

- "Nenhuma instituição humana é capaz de comportar o Reino de Deus que é maior do que determinado partido, pastoral etc".

- "A oração não modifica nossos problemas. Ela nos faz encarar o problema".

- "A fé mora nas dúvidas. As dúvidas constituem o terreno da fé".

- "Vocação não é um sim definitivo na vida, mas sim um processo que vai acontecendo".

- "Nossa história é um poço de água vida, é só saber revisitá-la com os olhos de Jesus. Precisamos rememorar a nossa vida com os olhos de Jesus".

- "Meditar é refazer a história com os olhos, resignificar a vida através da fé".

- "A vida é um acidente para quem não tem encontros profundos de amor".

- "Somos capazes de chorar com o choro do outro, alegrar-nos com a alegria do outro?".

- "A fronteira entre o bem e o mal está necessariamente em nosso coração".

- "Gastar tempo no encontro íntimo com Jesus, não significa distanciar-se da atuação política, mas sim qualificá-la".

- "O centro da prática de Jesus é o Reino de Deus. Reino de Deus é uma relação nova, transformadora com Deus, com os irmãos e com a natureza".

- "Castidade não é castração, é amor maior. Assumimos a castidade quando priorizamos um amor maior".

- "Deus opta pelos pobres não porque eles são bons, mas porque eles são vítimas do sistema, da História".

- "Encontramos mais Jesus na montanha, na rua, casa-mesa. A montanha é lugar de encontro com Deus, a casa-mesa é símbolo de partilha, amizade e vida (comensalidade) e a rua, o colocar-se a caminho".

- "Sem descer ao inferno é muito difícil subir ao céu."

- "Jesus se fez forasteiro na vida dos discípulos de Emaús, abdicou de seus títulos para entrar na vida deles".

- "No encontro com a samaritana, quem evangeliza é o poço. A sede de Jesus se encontra com a sede da samaritana".

- "A pessoa humana é a centralidade da doutrina social da Igreja".

Após o estudo de grupo, foi feita uma pausa para o almoço.

Tarde de aprofundamento no 2º dia da Assembléia Nacional

As atividades da assembleia neste dia 24/06 (Dia de São João Batista) foram retomadas à tarde com a acolhida de Dom Cláudio Nori Sturm, Bispo da Comissão do Laicato - Regional Leste II. Em seguida, os 10 grupos de estudo partilharam as suas discussões em plenária(...)

Alguns pontos elencados:

- O laicato deve aprofundar o compromisso com os pobres e excluídos da sociedade, sem relativizar o assunto;

- Dar maior visibilidade aos trabalhos e ações do CNLB de todas as formas possíveis;

- Intensificar a formação e o aprofundamento sobre a vocação e a missão dos leigos e leigas na Igreja e na sociedade;

- Criar um processo de conscientização sobre o consumo responsável e sustentável;

- Incentivar e aprimorar a criação de sites e blogs para uma maior divulgação e expansão do CNLB;

- O laicato precisa ser luz e colocar-se cada vez mais a serviço da vida;

- É preciso repensar a nossa linguagem e investir mais na comunicação;

- O CNLB deve se pronunciar nas seguintes questões: homofobia, pedofilia, aborto etc;

- Fazer um manifesto contra todas as situações que ameaçam a vida, principalmente na mídia e meios de comunicação social;

- Intensificar a participação nos conselhos municipais e demais entidades da sociedade civil organizada, de uma forma crítica;

- Marcar e reafirmar a nossa identidade e o nosso espaço no contexto socioeclesial;

Em seguida, Pe. Alfredinho retomou as suas reflexões acerca do tema central da assembleia. Eis os principais aspectos de sua explanação:

- Os leigos devem atuar fortemente em todos os níveis de atuação: CNLB - IGREJA - SOCIEDADE - PLANETA;

- A relação CONSELHOS-PASTORAIS-MOVIMENTOS precisa ser melhor compreendida. O conselho de leigos/as não é pastoral ou movimento, mas sim um organismo aglutinador, tendo a mesma importância que a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), CRB (Conselho de Religiosos do Brasil), CNP (Conselho Nacional de Presbíteros) e os demais organismos da Igreja;

- Nós, infelizmente, reduzimos a nossa linguagem às modalidades: escrita e falada. Há uma infinidade de linguagens que não são devidamente aproveitadas na ação evangelizadora.

- Nossas liturgias são "brancas" e "europeias". Não valorizam a beleza da cultura negra e indígena;

- Nós, enquanto Igreja, não estamos preparados para dialogar com o mundo urbano. Nós muitas vezes estamos em "AM" e o povo está em "FM";

- Sem arte não há libertação!

- A espiritualidade dos leigos/as deve estar centrada na pessoa e no projeto de Jesus Cristo. Isso é "conditio sine qua non", ou seja, condição sem a qual não existe cristianismo;

- O jovem está órfão e perdido na Igreja hoje. O sacramento da crisma, infelizmente, representa hoje "despedida solene da Igreja com a bênção do bispo";

- Liberdade sem muros e limites é abismo, beco sem saída;

Depois de um rápido lanche, Pe. Alfredinho retomou o tema fazendo uma análise de conjuntura eclesial. Eis os principais pontos:

- A Igreja Católica não é um bloco unificado, ela está permeada por vários setores. Ela está no mundo e por isso, é dilacerada pelos mesmos conflitos que atingem a sociedade, como toda e qualquer instituição;

- Campos de ação - Riscos e potencialidades:

1- Instituição - diocese, cúria etc.

Qual é a identidade da Igreja? Nesta resposta há riscos e potencialidades:

Riscos: confundir a identidade da Igreja com a identidade da Igreja de um determinado período, como por exemplo da Idade Média, onde vigorou o que chamamos de "cristandade";

Potencialidades: Não parar na Idade Média, recuar até a prática de Jesus. O poder que se traduz em serviço;

2- Movimentos religiosos - folcolarinos, RCC, Legião de Maria etc.

São uma realidade na Igreja hoje. Há também aqui riscos e potencialidades:

Riscos: Uma leitura equivocada da realidade, segundo a qual ela não pode ser mudada. Alguns movimentos se tornam "barquinhos"de salvação.

Potencialidades: quer queiramos ou não, os movimentos trazem consigo o sopro do Espírito Santo, na alegria de celebrar, espontaneidade, acolhida etc. Todavia, há exageros também. O totalitarismo é muito perigoso. Guimarães Rosa disse certa vez: "A verdade não está em mim e nem em você, mas sim no diálogo".

3- Midiática - TVs católicas nacionais, regionais, rádio etc.

Não podemos desconhecer o terreno midiático. Aqui também há riscos e potencialidades:

Riscos: Desconhecer a linguagem do meio de comunicação. Cada meio de comunicação tem a sua linguagem própria. Muitas vezes a linguagem da Igreja não consegue atingir o público e por isso, acabamos falando para nós mesmos.

Reduzir o Evangelho a um "show". A mídia, especialmente a TV, se limita a fazer espetáculos, entretenimentos e isso acaba gerando expectativas falsas, mexendo profundamente com a consciência das pessoas;

Potencialidades: A mídia trabalha com milhões de pessoas, enquanto nossas celebrações atingem apenas algumas centenas de pessoas. Felizmente, já começam a surgir padres, bispos e leigos com uma linguagem eficaz, fruto de uma melhor capacitação;

4- Piedade Popular: Percebemos um crescimento significativo nos santuários de todo o Brasil.

Riscos: Há também um pensamento nessa vertente, de que nós não podemos mudar a realidade. O pensamento mágico ainda é muito forte nesse âmbito.

Potencialidades: Existe uma enorme fé popular, uma confiança inabalável em Deus. A linguagem do toque é uma característica desse campo de ação. Essa é a linguagem de quem muito ama e muito sofre. Nem sempre isso é superstição. Trata-se de um gesto de quem quer tocar no sagrado.

5- Ação Social: Riscos - Machismo, briga pelo poder, vícios de corrupção etc.

Potencialidades: Presença firme nos porões da humanidade, entre as pessoas mais ameaçadas da sociedade.

- O problema da América latina não é o secularismo, mas sim o excesso de deuses.

Uma vez concluído esse momento, finalizamos a tarde com a janta.


César Augusto Rocha - Diocese de Tianguá - CE

Nenhum comentário: