Loading...

sexta-feira, 24 de junho de 2011

1º Dia dia da XXX Assembléia Nacional dos Leigos e Leigas


Em clima de festa e alegria, deu-se início a XXX Assembleia Geral Ordinária do CNLB com a presença de 154 leigos e leigas, 5 bispos, 3 padres, 1 diácono e 1 representante do CRB (Conselho dos Religiosos do Brasil) de todos os regionais da CNBB(...)

Na abertura, aconteceu a acolhida inicial com a apresentação de todos os regionais com as bandeiras respectivas de seus estados. Em seguida, foi vivenciada a oração inicial no anfiteatro do Centro de Retiros São José, tendo como roteiro o ofício divino das comunidades. Durante este momento, foi feita uma partilha dos avanços e dificuldades da caminhada, nossos sonhos e bandeiras de luta para construirmos um laicato autêntico e comprometido com a transformação da sociedade. A oração foi concluída com a canção "Pai Nosso dos Mártires", relembrando a vida e o exemplo de tantos mártires que deram a vida pelo Reino de Deus.

Foi formada, por conseguinte, a mesa solene de abertura da assembleia, composta pelos seguintes representantes: Dom Severino Clasen (Presidente da Comissão para o laicato), Dom Laurindo Guizzardi (Bispo Emérito de Foz do Iguaçu), Dom Celso Queiroz (Bispo Emérito da Comissão para o Laicato), Laudolino Augusto (Presidente do CNLB) e Jaime Ribeiro (Presidente do Conselho Regional dos Leigos/as - Leste II). Cada um deles deu as boas-vindas aos participantes do encontro, contextualizando a importância do laicato na atual conjuntura eclesial.

Após o lanche, os trabalhos foram retomados com a explanação do Pe. Alfredo J. Gonçalves (assessor das pastorais sociais) sobre o tema principal da assembleia: "Leigos e leigas, discípulos e missionários de Cristo, comprometidos com a Vida no Planeta". Ele inicia apresentando cinco palavras chaves, chamadas por ele de "janelas", que possibilitarão um entendimento maior sobre o tema proposto. São elas: MÉTODO, MUDANÇA, ENCRUZILHADA, BIO E SEMENTE.

MÉTODO: Ele surge sempre a partir dos sinais dos tempos, dos acontecimentos, fatos e situações ao nosso redor. Precisamos estar atentos aos brotos que a história coloca em nossos caminhos. É preciso ver a a história não apenas numa perspectiva pessimista, mas sobretudo de esperança.

MUDANÇA: Nas últimas quatro décadas aconteceram profundas mudanças em todo o mundo. Essas mudanças têm três dimensões:

1- Social, Econômica e Política: O Neoliberalismo, uma das facetas do sistema de capitalismo, se desdobra em um processo descontrolado de produção e consumo;

2- Ambiental: O consumismo e essa produtividade exacerbada trazem fortes impactos ambientais. Há dois riscos sobre essa questão que precisam ser evitados: o de imaginarmos que não temos nada haver com essa questão e o pensamento de que só nós somos os culpados pela degradação ambiental.

3- Urbano: Estamos vivendo um processo forte de urbanização. Vivemos num mundo urbano de uma grande multidão O "credo" do mundo moderno se baseia em cinco pilares: Razão, Ciência, Tecnologia, Progresso e Democracia. A democracia no Brasil é uma grande piada. Ela virou o arcabouço legal para manter o neoliberalismo. Nós somos uma geração de "ponte", de mudanças, o que os teóricos chamam de "transição paradigmática", as verdades se converteram em mentiras. Todavia, toda crise é ambígua: pode ser estéril ou fecunda, ela nos leva ao berço (a um certo saudosismo!) ou às fronteiras.

ENCRUZILHADA: Supõe olhar novo, sem saudosismos, momento de repensar ações para reencontrar o caminho. Não adianta apostar todas as fichas num projeto político, numa ideologia ou pensamento, porque o Reino de Deus é que é a grande força motivadora, razão maior de nossa caminhada. É preciso relativizar a via parlamentar, porque infelizmente no Brasil, a via parlamentar é uma via PARALAMENTAR. Logo, é necessário encontrar outros caminhos de atuação.

BIO: Hoje esta palavrinha está espalhada em todos os lugares. Por que mencioná-la tão frequentemente? É simples! Porque a vida nunca esteve tão ameaçada. A vida está ameaçada, mas felizmente, aos poucos estamos tomando consciência dessa realidade. As iniciativas em favor da vida se multiplicam nos mais diferentes rincões.

SEMENTE: Hoje há um conceito equivocado de que transformação social é igual a espetáculo. Nós vivemos na chamada "sociedade do espetáculo". O espetáculo tende a cristalizar a história. A mudança não vem do espetáculo mas da semente. A semente cresce do chão, da mesma forma as mudanças nascem do chão. Pequenas mudanças se acumulam, gerando energia para um salto qualitativo.

Somos convidados a semear gestos de solidariedade na história, estes não se perdem nunca.

Depois da explanação, houve um momento de parada para o jantar. As atividades desse primeiro dia se encerrarão com a santa missa presidida por Dom Severino Clasen a partir das 20:00h.

Por César Augusto Rocha - delegado da Diocese de Tianguá na XXX Assembleia do CNLB

Nenhum comentário: