Loading...

terça-feira, 26 de abril de 2011

Comunidade da Boa Vista do Pixaim, sem coragem de gritar pela Liberdade!!!


A luta pelos Direitos da Comunidade do Cipó ainda não terminou, e ja inicia uma outra luta ainda maior, libertade ha 1000 escravos, temos uma outra comunidade, Comunidade da Boa Vista do Pixaim.

Ali tem 1000 negros, cercados por um ganacioso fazendeiro
que nem sabe quantas fazendas tem, terras estas, roubadas dos pobres.

Um verdadeiro reduto de quilombos refugiados da escravidão do Vale do São Francisco.

Cercados como animais, e com muito medo não tem coragem de gritar pela Libertdade.

Ja estou nesta luta há anos.

Será que temos que esperar mais 300 anos para libertar esta comunidade da escravidão????

Favor colocar esta denuncia na comunidade, para que mais pessoas saibam o que acontece
neste sertão da Bahia.

Parece que vou morrer 10 anos antes do previsto, pois estas lutas ocupa 80% da minha vida,
e eu tanto desejava findar minha vida com 100 anos de idade, sei que vou morrer esmagado por estas lutas, mas é preciso avansar para as águas mais profundas e em busca do que é mais sagrado, a vida e a liberdade do nosso povo excluido de tudo.

Vejam a foto da Escrava Anastacia, para ela não gritar pela liberdade do seu povo , lhe
deram uma mortaça na boca.

E os moradores desta comunidade não gritam por medo, em pleno 2011.

Rezem e divulguem esta notícia vinda do sertão da Bahia.

Obrigada.

Saudações em Cristo
Mons.Bertolomeu Gorges.

Paróquia Santa Luzia - Muquem BA.


Noticia, por email de Graça Ribeiro

7 comentários:

Bertolomeu disse...

COMUNIDADE DE BOA VISTA DO PIXAIM
Relato de uma quilombola sobre sua comunidade 14 de abril de 2009
14/04/2009

A comunidade de Boa Vista do Pixaim é habitada por cerca de 500 familias, localizada as magens do rio são francisco,na qual pertence ao municipio de Muquém do são Francisco, Bahia.
De um certo modo a população veio a se desenvolver a olhos da sociedade, com poucos recursos aplicado nesta comunidade, algumas obras foram realiazadas, desde então a população vem desfrutar destes beneficios.Há 8 anos atrás a situação era complicada, principalmente por depender cidades vizinhas, cito alguns exemplos: Ensino Médio, Hospital,etc.Como já foi dito em outra matéria ,esta comunidade hoje continuar cercada, o que esta dificil para ser retirada esta cerca, enfim, existem outras coisas para relatarmos, afinal este é meu objetivo como ex- moradora.
No ano de 2000, a comunidade recebeu o primeiro beneficio que foi a energia eletrica, apartir daí foram muitas conquista, tais como: Escolas, calçamento, assistencia médica, odontologica e a constução de um posto de saúde.Acredito que hoje os moradores tem mais facilidade de resolver determinadas situações sem precisarem se deslocar da comunidade.A questão do acesso a fazenda ainda é dificil, pois se trata de uma propiedade privada.Outra questão é a lagoa, os moradores continuam sem poder pescar, pois o propietário veio a proibir a entradas destas pessoas.
Acredito que esta populaçao só não é maior poque a falta de serviço é grande, muitas delas se mundam para outras cidades por este motivo.O fazendeiro as vezes coloca vagas para que as pessoas possam trabalhar em sua propiedades, mas nem todos tem esta sorte de preencher as vagas oferecidas.
Atualmente Boa vista, conta com a visita de pessoas de cidades vizinhas como: Ibotirama, Barra, Paratinga,Barreiras, etc.Estas visitas são feitas principalmente no mês de junho, época em qual se comemora a festa do padroeiro Santo Antônio. Nesta época de festa há 4 anos que tem desfile do bloco, nisto podemos ver quanta evolução.O rio é muito bonito,atrai varias pessoas, principalmente na época do calor.
Outra grande conquista dos moradores juntamente com a prefeitura foi a implantação do ensino médio na comunidade.Foi muito dificil trazer este beneficio, antes o estudantes eram precisos se deslocarem a Ibotirama para terminaren o ensino médio,porque so tinha até o fundamental, sem contar com as dificuldades que os pais tinham em colocar um filho para estudar na cidade, isso porque a situação financeira era dificil.
No final de 2008 muitos sonhos foram realizados, a conclusão dos alunos do ensimo médio dentro da propria comunidade, um motivo de orgulho para aqueles que acreditaram no desenvolvimento daquele simples povoado. Alguns fazem até cursos superiores, não é dentro de Boa Vista, e sim em outras cidades.O importante é que a base de tudo foi retirada de la.Eu sou uma delas estudei todo meu ensino fundamental naquela pequena comunidade.mudei porque lá não tinha o ensino médio na época,hoje tenho 21 anos, moro em Luis Eduardo Magalhães-BA, acadênica em Direito, porém não esqueço minhas origens, e me orgulho muito em saber que Boa Vista hoje oferece uma educação de qualidade aos moradores, e tenho certeza que outras vitorias aconteceram.

18/04/2009 Luana Evangelista.

Bertolomeu disse...

Teremos que esperar mais 300 anos?*
Adital

Boa Vista do Pixaim



A comunidade de Boa Vista do Pixaim é uma comunidade formada por uma população predominantemente Negra, composta por cerca de 200 famílias. A comunidade fica na margem direita do rio São Francisco no município de Muquem do São Francisco, estado da Bahia.



A mesma se formou neste lugar devido a vários conflitos de terra que há muito tempo vinha existindo com fazendeiros que compraram terras próximas ao rio e passaram a perseguir os moradores das comunidades que habitavam às margens do mesmo rio desde muito tempo. Há fortes indícios de que estas comunidades eram antigos quilombos.



Existia a comunidade de Pixaim próxima a uma lagoa marginal. Quando começou o conflito as pessoas de Pixaim foram expulsas deste local, houve muita violência, inclusive as suas casas foram queimadas. Então estes fugiram para outras comunidades, dentre elas uma que ficava ali próximo chamada Boa vista, dando origem a esta comunidade que hoje se denomina Boa vista do Pixaim.



Esta comunidade hoje vive cercada em uma área de aproximadamente 50 ha de terra, entre três cercas de arame farpado (segundo os moradores a cerca foi construída no ano de 1977), e às margens do rio São Francisco, isolando os moradores do restante de uma fazenda na qual o povoado fica dentro. Segundo informações dos próprios moradores eles não podem passar a cerca sequer pra tirar lenha para cozinhar nas matas da fazenda.



Só existe uma saída da comunidade que é por uma cancela, saindo da cerca segue por uma estrada por dentro da fazenda e esta dá acesso à estrada que liga a cidade da Barra a BR 242.



Os moradores sobrevivem do plantio de pequenas roças cultivadas em uma ilha do rio São Francisco, outros migram pra trabalhar nas fazendas de soja, café, milho, etc no oeste da Bahia; existem ainda outros que trabalham para o próprio fazendeiro recebendo a quantia que este ou seu gerente determinar e pescam no rio.



Existe também uma lagoa marginal de onde os moradores pescavam para tirar o sustento de suas famílias, porém hoje não é mais possível isso, pois o proprietário está criando peixe em cativeiro dentro da lagoa e os habitantes da comunidade não podem sequer pescar o peixe que o próprio rio deposita na mesma, segundo eles, existe um segurança armado que vigia a lagoa 24 horas por dia para que ninguém pesque.



Segundo os moradores, antes desta proibição eles pescavam, com a seguinte condição: o pescado que eles pegavam era dividido em três partes: uma para o pescador, outra pra o dono da rede (já que o pescador não tinha a rede), e a outra parte ia para o dono da fazenda.



Vale lembrar que as lagoas marginais do rio São Francisco são de domínio da União, já que o São Francisco é um rio Federal.



Os trabalhadores vivem com grandes dificuldades e em precárias condições de vida, já que o acesso a terra e a pesca são muito limitados.

Também a comunidade fica localizada em uma área a União, pois está bem próxima à margem do rio e suas águas banham parte das terras da fazenda, e banham a comunidade em épocas de grandes cheias.



Durante visitas feitas pela CPT da Diocese de Barra à comunidade, os moradores dizem que se sentem escravizados e estão à procura de uma saída para esta situação que a cada dia se torna mais insuportável, devido à falta de liberdade e perspectiva de futuro para se e seus descendentes, mas tem muito medo de repressão por parte do Fazendeiro, já que em outros momentos foram muito perseguidos.



*Carivaldo Ferreira dos Santos

Agente da CPT – Barra – Bahia.

Bertolomeu disse...

Os quilombolas pedem Socorro.
Vejam este video do que estou falando.Temos que libertar esta comunidade custe o que custar ou temos que esperar mais 300 anos???
http://www.orkut.com.br/Interstitial?u=http://vimeo.com/15746267&t=AFUbihnjK-chi8wdp_ox5hxhItuUWfQf1hVF6BHPOhTLLepkcou6qJpV89btnA5JBcIcq4CgFTjFWubyjMexdr4Egu0z4qwcLwAAAAAAAAAA

Bertolomeu disse...

http://www.orkut.com.br/Interstitial?u=http://vimeo.com/15746267&t=AFUbihnjK-chi8wdp_ox5hxhItuUWfQf1hVF6BHPOhTLLepkcou6qJpV89btnA5JBcIcq4CgFTjFWubyjMexdr4Egu0z4qwc

Bertolomeu disse...

Video sobre o Masacre da Lagoa da Serra -Boa Vista do Pixaim -Muquém Bahia.
http://www.orkut.com.br/Interstitial?u=http://vimeo.com/15746267&t=ABNfkdADiFoid_Q3mR-R_tJhItuUWfQf1hVF6BHPOhTLLepkcou6qJpV89btnA5JBcIcq4CgFTjFWubyjMexdr4Egu0z4qwcLwAAAAAAAAAA

Bertolomeu disse...

O dia 13 de maio de 1888 ainda não chegou a Comunidade do Cipó e a da Boa Vista do Pixaim:
http://youtu.be/na-iN3zMt0s

Bertolomeu disse...

Quem nos poderá impedir em ser mos solidarios com os mais pobres?
O CASO CIPÓ EM FOCO:
Quanto ao caso do Cipó, acredito que estamos cumprindo nosso dever de acompanhá-los e manifestar nosso apoio e solidariedade. Não se importe com o que vão dizer. De qualquer maneira sempre haverá quem dirá alguma coisa.
Recebam meu abraço fraterno e amigo,
Frei Luiz