Loading...

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

A Verdadeira Proposta da CF 2008



Artigo: A Força da Misericórdia

Por Dom Demétrio Valentini, bispo de Jales


A causa da vida é tão importante, que convém chamar logo o Evangelho. Neste assunto, nada melhor do que conferir os ensinamentos de Cristo. Ele mesmo fez questão de afirmar: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. A própria seqüência dessas afirmações coloca a vida como ponto de chegada, como realidade mais alta, como meta final a atingir. Para chegar à vida é preciso tomar um caminho, descobrir a verdade, e só então contemplar o vasto panorama da vida.Existe uma página do Evangelho que nos surpreende, e parece vir bem a propósito da Campanha da Fraternidade deste ano. Ela mostra com muita evidência a absoluta prioridade da misericórdia, e a urgência de desarmar os espíritos quando abordamos questões ligadas à vida.Trata-se do episódio da mulher adúltera, narrado por João, no capítulo oito do seu Evangelho. Vale a pena conferir de perto esta surpreendente narrativa. Jesus estava ensinando o povo no templo. Foi então que “os escribas e os fariseus trouxeram uma mulher apanhada em adultério, e disseram a Jesus: ‘Mestre, esta mulher foi flagrada cometendo adultério. Moisés, na Lei, nos manda apedrejar tais mulheres. E tu, o que dizes?” (Jo 8,5) Traduzindo para o contexto da Campanha da Fraternidade deste ano, poderíamos colocar: “Esta mulher foi flagrada praticando aborto. A lei de nosso país estabelece que isto é crime. E tu, o que dizes?”Pois bem, colocado frente a este embaraçoso desafio, o que fez e o que disse Jesus? “Inclinando-se, começou a escrever no chão”(Jo8,6). Jesus não respondeu logo. Certamente não porque não soubesse a resposta. Mas para nos ensinar que diante de situações trágicas não devemos ter respostas feitas e prontas. Pois é preciso ter presente a complexidade das situações vividas pelas pessoas. Jesus sempre convidava para a reflexão, mesmo quando ensinava verdades mais amenas, através de suas parábolas, que tinham a finalidade de despertar para a meditação, para o aprofundamento da verdade e para a sua prática conseqüente. “Como insistissem em perguntar, Jesus ergueu-se e disse: ‘quem dentre vós não tiver pecado, atire a primeira pedra’.. e continuou a escrever no chão”. (Jo 8, 7). Diante de situações dramáticas, é preciso interpelar as consciências. Antes de julgar os outros, é preciso conferir a própria coerência, constatar suas fraquezas, e abandonar a prepotência de quem se julga dono da verdade e imune a interpelações. “Ouvindo isto, foram saindo um por um, a começar pelos mais velhos.”(Jo 8,9).Jesus inverteu o julgamento. Todos apontavam o dedo para a mulher, como se fosse a única culpada. Jesus meteu o dedo na consciência dos primeiros responsáveis pela situação, tirando-lhes a máscara de acusadores, e desnudando sua condição de criminosos. Arrancar a máscara de hipocrisia, que se esconde atrás de aparências de honestidade, e cria vítimas para tranqüilizar a consciência, esta a tarefa urgente desta Campanha da Fraternidade. “Jesus ficou sozinho com a mulher que estava no meio, em pé. Ele levantou-se, e disse: Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou? Ela respondeu: ‘ninguém, Senhor’. Jesus então lhe disse: Eu também não te condeno. Vai, e de agora em diante não peques mais” (Jo 8, 9-11). Esta narrativa nos envolve nas mesmas interpelações. Em primeiro lugar, sentimos a urgência de nos escudar com as palavras e atitudes de Cristo. Diante de tanta gente com pedras na mão, prontos a executar sentenças condenatórias, a autoridade de Cristo recompõe a hierarquia de valores. Antes dos julgamentos, antes das condenações precipitadas, é preciso dar prioridade à misericórdia. “A misericórdia triunfa do julgamento” (Tg 2,13).A força da misericórdia reconstrói a dignidade das pessoas, e as coloca de novo em condições de assumir os compromissos da vida. Misericórdia não significa tolerância com o pecado. Significa o triunfo do amor, que regenera, reintegra, e refaz a vida com novo vigor. “Nem eu te condeno. Vai, e de agora em diante não peques mais”. Este o testemunho de Cristo. Esta a proposta da Campanha da Fraternidade.
Publicado em 22/02/2008 - 08:50

Nenhum comentário: