Loading...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Via Sacra 2016 - Campanha da Fraternidade 2016

A Cruz do Senhor, com uma faixa de tecido branco nos braços sim­bolizando a ressurreição de Jesus de sua morte, é levada à frente pelos par­ticipantes, acompanhada por velas acesas. O dirigente acolhe a todos e os convida a participar com fé e devoção da meditação dos Mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor. 
Início
Dirigente: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Todos: Amém!
Dirigente: Irmãos e irmãs, que a paz de Jesus Cristo esteja conosco!
Todos: Bendito seja o Senhor que nos reuniu na sua paz!
Leitor(a) 1: O cuidado da natureza faz parte dum estilo de vida que implica capacidade de viver juntos em comunhão. Jesus lembrou­-nos que temos Deus como nosso Pai comum e que isto nos torna irmãos. O amor fraterno só pode ser gratuito, nunca pode ser pago. Esta mesma gratuidade leva-nos a amar, desenvolvendo a cultura do cuidado do meio ambiente para evitar sua exploração degradante (cf. LS, n. 36).
Todos: "Quero ver o direito brotar como fonte e correr a jus­tiça qual riacho que não seca" (Am 5,24).
Leitor(a) 2: Deus não abandonou o mundo. Ele quer que o seu desígnio e a nossa esperança em relação ao mundo se realizem através da uma cooperação destinada a restabelecer a sua harmonia originária. No nosso tempo, estamos a assistir ao desenvolvimento de uma cons­ciência ecológica, que deve ser encorajada a fim de poder redundar em iniciativas e programas concretos (cf. Declaração Conjunta do Patriar­ca Ecumênico Bartolomeu I e de São João Paulo lI, Roma-Veneza, 10 de junho de 2002).
Todos: "Quero ver o direito brotar como fonte e correr a jus­tiça qual riacho que não seca" (Am 5,24).

Canto: Hino da CFE 2016
***************************************
1ª Estação                                                                                                                                                                                  Jesus é preso e condenado à morte
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.                                                  Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                                                       Leitor(a) 1: "Então os outros avançaram, lançaram as mãos sobre Jesus e o prenderam. Nisso, um dos que estavam com Jesus, esten­deu a mão, puxou a espada e feriu o servo do sumo sacerdote, cotando­-lhe a orelha. Jesus, porém, lhe disse: 'Guarda a espada na bainha! Pois todos os que usam a espada, pela espada morrerão'" (Mt 26,50b-52).
Leitor(a) 2: Jesus enfrenta sua prisão, mostrando sua fidelidade à justiça do Reino por Ele anunciado, esse Reino evoca acima de tudo a vontade do Pai. Jesus preso é lembrança de todos que sofrem com as injustiças, dos que sabem acolher o sofrimento revelado pelos rostos dos marginalizados e respondem a seus anseios apontando os cami­nhos para a superação da dor e do desprezo.
Dirigente: Ó Pai, vós que em Jesus vosso Filho preso, nos recor­dais a justiça do Reino, ajudai-nos a aderir sempre à vossa vontade e a nos comprometer com todos os que sofrem. Isto vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!
Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos a fazer sempre a vossa vontade. Amém!  
Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado / por teus crimes, pecador.
Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

*********************                                           
2ª Estação
Jesus carrega a cruz


Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.                             Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                          Leitor(a) 1: Pilatos lavou as mãos diante da multidão que gritava
"seja crucificado!”: dizendo: "Estou inocente desse sangue, a respon­sabilidade é vossa”: A isso, todo o povo respondeu: "Que o seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos”: Então, depois de mandar flagelar Jesus, Pilatos entregou-o para que fosse crucificado (cf. Mt 27,23-26).
Leitor(a) 2: A contínua aceleração das mudanças na humanida­de e no planeta gera um ritmo acelerado que não leva em conta o processo da natureza que possui o seu tempo próprio. Não só a natu­reza se vê muitas vezes atacada, mas também a humanidade que sofre com a deterioração do mundo e da qualidade da vida.
(Breve momento de silêncio).
Dirigente: Ó Deus, vós que sois a fonte de toda liberdade e o Senhor do tempo e da história, libertai toda a natureza e a humanida­de dos aprisionamentos que prejudicam a vida. Isto vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!
2.
3.
Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos a viver cada vez mais na liberdade. Amém!

Canto: Com a cruz é carregado / e do peso acabrunhado / vai morrer por teu amor.

Pela Virgem Dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

*********************
3ª Estação
Jesus cai pela primeira vez

Dirigente: Nós vos adoramos e vos bendizemos, Senhor Jesus!                     Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                                 Leitor(a) 1: Jesus com o rosto no chão orava: "Pai, meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice de sofrimento! Porém, que não seja feito o que eu quero, mas o que tu queres" (cf. Mt 26,39).

Leitor(a) 2: Existem formas de poluição que afetam diariamen­te as pessoas. A exposição a esses poluentes produz efeitos negativos à saúde, principalmente dos pobres. Essa é a queda da sociedade que quer pôr na finança as soluções de todos os problemas e é incapaz de ver em cada ser humano e na natureza uma fonte para as relações saudáveis.

Dirigente: Ó Deus de bondade, olhai para nossa sociedade que cai em seu próprio egoísmo, poluindo o ambiente e desvalorizando os pobres, ajudai-nos a reerguer os abandonados e esquecidos dessa terra. Isto vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!
Todos: Pai nosso ...
Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos em nossas quedas e dai-nos a graça de levantar os que são mais fracos que nós. Amém!
Canto: Pela cruz tão oprimido / cai Jesus desfalecido / pela tua salvação.

Pela Virgem Dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

************************
4ª Estação                                                                                                                                                                                Jesus se encontra com sua mãe

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!                             Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                                                       Leitor(a) 1: "Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe: 'Este me-

nino será causa de queda e de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição - uma espada traspassará a tua alma! - e as­sim serão revelados os pensamentos de muitos corações' " (Lc 2,34-35).

Leitor(a) 2: A maior parte das pessoas do planeta demostra acreditar em Deus ou numa força superior. Assim como Jesus se en­controu com sua mãe, é preciso promover o encontro fraterno das religiões visando o cuidado da natureza, a defesa dos pobres e a cons­trução de uma trama de respeito e fraternidade.

Dirigente: Ó Deus, que sois a fonte da fraternidade e dos encontros harmônicos, ajudai todas as religiões a crescerem no diálogo que promove o cuidado da vida. Isto vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos por meio das reli­giões a prosseguirmos pelo caminho do diálogo. Amém!

4. 
Canto: De Maria lacrimosa / no encontro lastimoso / vê a viva compaixão.
Pela Virgem Dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.


*******************

5ª Estação
Simão, o Cirineu, ajuda Jesus a carregar a cruz

*************                                          - ~

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo,  e vos bendizemos!
Todos: Porque,  pela vossa santa cruz, remistes o mundo!
Leitor(a) 1: "Então o levaram para crucificá-Io. Os soldados obrigaram alguém que lá passava voltando do campo,  Simão de Ci­rene, pai de Alexandre e de Rufo, a carregar a cruz" (Mc 15, 20b-21).

Leitor(a) 2: O Cirineu buscou uma nova lógica,  a de ajudar Jesus que sofria. Assim,  também nós busquemos uma nova lógica para nossas vidas cuidando da Casa Comum, abandonando o lucro excessivo,  buscan­do garantir o direito à água e ao saneamento básico para todas as pessoas.

Dirigente: Ó Pai, que sempre nos chamais a mudarmos os ru­mos de nossa vida, convertei as nossas ações para promovermos os direitos dos povos à água limpa e ao saneamento básico. Isto vos pedi­mos em nome de Jesus nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai,  que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum,  ajudai-nos a sermos mais eficientes no cuidado da família global. Amém!
Canto: Em extremo,  desmaiado,  / deve auxílio tão cansado / re­ceber do Cireneu.
Pela Virgem Dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

*********************

6ª Estação
Verônica enxuga o rosto de Jesus
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!                              Todos: Porque, pela vossa santa cruz,  remistes o mundo!                    Leitor(a) 1: Jesus não tinha aparência nem beleza para atrair o
nosso olhar, nem simpatia para que pudéssemos apreciá-Io. Despreza­do e rejeitado pelos homens, homem do sofrimento e experimentado na dor; como alguém de quem a gente esconde o rosto (cf. Is 53,2-4). Uma piedosa mulher enxugou o rosto de Jesus.

Leitor(a) 2: Sempre é possível desenvolver uma capacidade de sair de si mesmo rumo ao outro. Sem essa capacidade não se reconhe­ce às outras criaturas o seu valor. Verônica saiu de si para enxugar o rosto de Jesus,  nós precisamos repetir seu gesto possibilitando o cui­dado dos outros e do meio ambiente. Sair de si é a vacina contra todo o egoísmo.

Dirigente: Ó Deus,  que enviastes vosso Filho ao mundo para romper todas as barreiras que separam os homens e as mulheres,  aju­dai-nos a sairmos de nós,  para desenvolvermos um estilo de vida al­ternativo que mude a sociedade. Isto vos pedimos,  em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai,  que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos a reconhecer que estamos profundamente unidos com cada criatura. Amém!
Canto: O seu rosto ensanguentado / por Verônica enxugado / contemplemos com amor.
Pela Virgem Dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

************************

7ª Estação
Jesus cai pela segunda vez

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!                                 Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                       Leitor(a) 1: Quando Pilatos tinha perguntado a Jesus se ele era
rei, Jesus lhe respondeu: "Tu o dizes: Eu sou rei. Foi para dar testemu­nho da verdade que nasci e vim ao mundo. Quem é da verdade escuta a minha voz" (cf.Jo 18,37).

Leitor(a) 2: O profeta Amós, do qual extraímos o lema da Cam­panha da Fraternidade Ecumênica desse ano, compara a prática da justiça com uma fonte de água limpa sempre a jorrar. Todas as vezes que praticamos a injustiça ou somos omissos, é como se sujássemos a água. A segunda queda de Jesus pode nos ajudar a pensar nas vezes em que caímos não praticando a justiça.

Dirigente: Ó Pai, Jesus assumindo nossa realidade humana, as­sumiu também nossas quedas. Concedei-nos ser cada vez mais prati­cantes da justiça e da verdade. Isto vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos a viver na justiça e na promoção dos direitos iguais para todos. Amém!

Canto: Outra vez desfalecido / pelas dores abatido / cai por terra o Salvador.
Pela Virgem Dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

***********************

8ª Estação
Jesus consola as mulheres


Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!                             Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                           Leitor(a) 1: Seguiam a Jesus mulheres que batiam no peito e choravam por ele. Jesus, porém, voltou-se para elas e disse-Ihes: "Mu­lheres de Jerusalém, não choreis por mim! Chorai por vós mesmas e por vossos filhos ... Porque se fazem assim quando a árvore está verde, o que acontecerá quando estiver seca?" (cf. Lc 23,27-28).

Leitor(a) 2: A educação possui um poder muito grande de transfor­mar, de tirar de dentro dos educandos um novo potencial de vida. Assim como Jesus chamou várias mulheres ao seu seguimento, hoje, ele convida as mulheres - mães, professoras, catequistas e líderes sociais - a se lançarem com maior ardor na educação ecológica das novas gerações. Essa cortesia ajuda a construir a cultura da vida compartilhada e do respeito pelo que nos rodeia.

Dirigente: Ó Deus, que chamastes as mulheres para o vosso se­guimento, despertai cada vez mais nelas o senso da educação que gera o cuidado da vida. Que no interior da vossa Igreja seja mais valorizada sua atuação pastoral, e que sempre encontrem o conforto para seus dramas. Isto nós vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e ir­mãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai todas as mulheres a cresce­rem na promoção da educação que acolhe e protege a vida. Amém!

Canto: Das mulheres piedosas / de Sião filhas chorosas / é Jesus consolador.

Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.
************************************
9ª Estação
Jesus cai pela terceira vez

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!                                    Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                                  Leitor(a) 1: Se fazendo o bem sois pacientes no sofrimento,  isso

constitui  uma ação louvável diante de Deus, pois para isto fostes cha­mados, já que Cristo também sofreu por vós, deixando-vos o exemplo, a fim de que sigais seus passos. Sobre o madeiro levou nossos pecados em seu próprio corpo, a fim de que, mortos para nossos pecados, vi­vêssemos para a justiça (cf. Pd 2,20b;24a).

Leitor(a) 2: Para os países pobres, as prioridades devem ser a erradica­ção da miséria e o progresso social dos seus habitantes, tudo isso favorece o desenvolvimento sustentável dos povos. Infelizmente,  esse caminho é obstruído pela corrupção dos governantes, que é uma utilização irresponsável das capa­cidades humanas. A terceira queda de Jesus nos convida a não nos deixarmos vencer pelo mal da corrupção que tanto afeta a política de nosso país.

Dirigente: Ó Pai,  vós que sempre vos mostrastes fiel a nós que somos teu povo,  ajudai o nosso país a vencer toda a corrupção que impede o desenvolvimento de políticas sustentáveis Isto nós vos pedi­mos,  em nome de Jesus,  nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai os governantes para que não caiam no pecado da indiferença e promovam sempre os fracos. Amém!

Canto: Cai terceira vez prostrado / pelo peso redobrado / dos pecados e da cruz.

Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

************************
10ª Estação
Jesus é despido de suas vestes





Dirigente: Nós vos adoramos e vos bendizemos, Senhor Jesus!
Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!
Leitor(a) 1: "Depois que crucificaram Jesus, os soldados pegaram suas vestes e as dividiram em quatro partes, uma para cada sol­dado" (Jo19,23). Cristo Jesus despojou-se da sua condição divina,  e assumindo a forma de escravo,  abaixou-se,  fazendo-se obediente até a morte, a morte sobre uma cruz (cf. FI 2, 7-8).

Leitor(a) 2: As vestes de Jesus foram repartidas,  separadas. A Campanha da Fraternidade Ecumênica está vivendo a experiência in­versa,  estamos nos unindo,  somando forças para promover a responsa­bilidade pela Casa Comum. Somos chamados a refazer nossas relações sociais e ambientais seguindo a prática libertadora de Jesus de Nazaré. Nossas práticas cotidianas devem transmitir nossa opção radical,  cele­brada no Batismo,  de superarmos as barreiras que nos dividem.

Dirigente: Ó Pai, vós que chamais todos os povos a serem uma só realidade em vós, despertai nas comunidades cristãs do Brasil o de­sejo de trabalharem cada vez mais na construção do vosso Reino de unidade de paz. Isto vos pedimos, em nome de Jesus,  nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai nossas comunidades a serem sinais vivos de unidade. Amém!
Todos: Pai nosso...

Canto: Das suas vestes despojado / por algozes maltratado / eu vos vejo meu Jesus.

Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.


************************

11ª Estação
Jesus é pregado na cruz

Dirigente: Nós vos adoramos e vos bendizemos, Senhor Jesus!
Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!
Leitor(a) 1: Quando chegaram ao chamado "lugar da caveira”, deram fel para Jesus beber, e aí o crucificaram (cf. Mt 27,33-36). "Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também será le­vantado o Filho do Homem, a fim de que todo o que nele crer tenha vida eterna" (Jo 3,14.15).
Leitor(a) 2: Segundo a compreensão cristã da realidade, o des­tino da criação inteira passa pelo mistério de Cristo, que nela está pre­sente desde a origem. Uma pessoa da Santíssima Trindade inseriu-se no universo criado, partilhando a sua própria sorte com ele até a cruz.
Dirigente: Ó Pai, pelo mistério da cruz do vosso Filho experi­mentamos um sinal estupendo de amor, acompanhai com solicitude os gemidos da criação, e assim nos impele para a prática do bem. Isto nós vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!
Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos pelo mistério da cruz do vosso Filho a sermos nesse mundo sinais da vossa ternura salvadora. Amém!
Canto: Sois por mim na cruz pregado / insultado, blasfemado / com cegueira e com furor.
Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.
***********************

12ª Estação
Jesus morre na cruz

Dirigente: Nós vos adoramos e vos bendizemos, Senhor Jesus!                   Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                             Leitor(a) 1: Então Jesus deu um forte grito: "Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”: Dizendo isso, expirou (cf. Lc 23,46-48). Cris­to amou a sua Igreja e se entregou por ela, a fim de purificá-Ia com o banho da água e santificá-Ia  pela Palavra, para apresentar a si mes­mo a Igreja, gloriosa, sem mancha, nem ruga, santa e irrepreensível  (cf.Ef 5,6).
Leitor(a) 2: Os índios Kulina, do sul do estado do Amazonas, sempre dizem que tudo na terra é "durabilidade limitada, e isso é uma experiência diária para quem vive na selva”. Jesus aceitou-se fazer dura­bilidade limitada pela humanidade. Sua morte não é sinal de fracasso, mas de adesão radical ao projeto de dar vida e dignidade aos povos. Cabe agora, por meio de nós, que a fidelidade de Deus se manifeste na preservação de tudo o que é necessário, para que a família humana viva num ambiente bem cuidado. (Breve momento de silêncio).
Dirigente: Ó Pai, que acolhestes "o espírito de vosso Filho" no alto da cruz, concedei que os povos trabalhem para criar um mundo novo onde todos os limites sejam superados. Isto nós vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!
Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, ajudai-nos a abraçar com amor a cruz de cada dia, morrendo para o pecado e ressurgindo para vida. Amém!


Canto: Por meus crimes padecestes/ meu Jesus por mim mor­restes / oh que é grande é minha dor.
Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

***************************
13ª Estação
Jesus é descido da cruz

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!
Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!
Leitor(a) 1: "Depois disso, José de Arimateia pediu a Pilatos para retirar o corpo de Jesus; ele era discípulo de Jesus às escondidas, por medo dos judeus. Pilatos o permitiu. José veio e retirou o corpo" (Jo19,38).

Leitor(a) 2: O Hino da Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano nos recorda que antes de sanear um lugar é preciso sanear o coração. A palavra sanear vem da mesma raiz de curar. Jesus, ao morrer na cruz, tomou sobre si todas as nossas feridas e as curou. Nós deve­mos nos comprometer com Jesus para sanear, curar todas as feridas da sociedade e da natureza desrespeitadas pelos desmandos do próprio ser humano.

Dirigente: Ó Pai, que pela morte do vosso Filho, assumistes as mazelas da humanidade, curai nosso coração e toda a criação das cha­gas provindas da maldade que destrói a vida. Isso vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, curai o nosso coração e a nossa terra de todo o mal. Amém!

Canto: Do madeiro vos tiraram / e à Mãe vos entregaram / com que dor e compaixão.
Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.

******************************
14ª Estação
Jesus é sepultado


Dirigente : Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!
Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!
Leitor(a) 1: Nicodemos e José de Arimateia pegaram o corpo de Jesus e o enrolaram em lençóis nos quais haviam espalhado perfumes. Era assim que os judeus preparavam os corpos para serem enterrados. E sepultaram Jesus num túmulo novo num jardim (cf. Jo 19,39-41).

Leitor(a) 2: Jesus deixou-se depositar na terra como semente que é plantada para produzir frutos. A descida de Jesus à sepultura deve nos levar a pedir perdão por todas as vezes que depositamos na terra criada por Deus, não os dons, mas a agressão por meio da polui­ção, do lixo e do esgoto a céu aberto. Pedimos perdão a Deus pela falta de saneamento básico em tantas de nossas cidades. Esse mal ofende a Deus e a dignidade de toda a criação.

Dirigente: Ó Pai, vós que sois da fonte de toda reconciliação, pelo mistério de vosso Filho morto e sepultado, pedimos perdão pelas vezes que prejudicamos a vossa criação com a nossa poluição. Isto nós vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!

Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, reconciliai nossa vida ferida de pecado com a vossa misericórdia. Amém!

Canto: No sepulcro vos puseram / mas os homens tudo esperam / do mistério da paixão.
Pela Virgem dolorosa / vossa Mãe tão piedosa / perdoai-me, meu Jesus.
Meu Jesus por vossos passos / recebei em vossos braços / a mim, pobre pecador.    

***********************
 15ª Estação
Jesus ressuscitou      

Dirigente: Nós vos adoramos e vos bendizemos, Senhor Jesus!                   Todos: Porque, pela vossa santa cruz, remistes o mundo!                       Leitor(a) 1: "E bem cedo no primeiro dia da semana, ao raiar do sol, Maria Madalena e Maria, a mãe de Tiago, e Salomé,  foram ao túmulo. Ao entrarem no túmulo,  o jovem lhes disse: “Não vos assus­teis! Procurais Jesus, o nazareno, aquele que foi crucificado? Ele res­suscitou! Não está aqui! Vede o lugar onde o puseram!” (Mc 16,2.6).
Leitor(a) 2: Estamos vivendo o Ano da Misericórdia proposto pelo Papa Francisco. Jesus, pela força da sua ressurreição, nos alcança com sua misericórdia que é infinita. Deus nos chama a uma generosa entrega e a oferecer-lhe tudo, também nos dá as forças e a luz de que necessitamos para progredir. No coração desse mundo está presente o Deus da Vida, que com seu amor nos leva a encontrar novos caminhos para este planeta e assim não perdemos a alegria e a esperança.
Dirigente: Ó Pai e Senhor da vida, com a ressurreição de vosso Filho Jesus Cristo, foi renovada toda a criação. Ajudai-nos sempre a descobrir que estais vivo em cada criatura, para manifestar a glória do Ressuscitado. Isto nós vos pedimos, em nome de Jesus, nosso Senhor.
Todos: Amém!
Todos: Pai nosso...
Todos: Ó Pai, que nos dais a graça de sermos todos irmãos e irmãs e habitarmos a Casa Comum, recordai-nos que está conos­co todos os dias de nossas vidas sustentando as nossas lutas em favor da vida e do futuro melhor. Amém!
Canto: Vitória, tu reinarás, ó Cruz, tu nos salvarás!                                  Brilhando sobre o mundo, que vive sem tua luz,

Tu és um sol fecundo, de amor e de paz, ó Cruz!

Nenhum comentário: