Loading...

domingo, 29 de julho de 2012

CEBs e Fé - Encontro Estadual das CEBs Rio Grande do Sul


Celebração, com Dom Helio Rupert, que abriu o Encontro foi no Ginásio da Escola Medianeira

Por Maiquel Rosauro (texto e fotos), da assessoria de imprensa do evento
Encontro Estadual de CEBs inicia com críticas ao governo e busca por profetas
“Como ser profeta nos dias de hoje?”. Este é o questionamento que o padre Vileci Vidal lançou nesta quinta-feira durante a cerimônia de abertura do 13º Encontro Estadual de Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), no ginásio da Escola Medianeira, em Santa Maria. Mais de 1,6 mil pessoas participaram da celebração que marcou o início do evento. Até domingo, delegados de CEBs de todo o Estado realizam diversas atividades no município.
A celebração foi presidida pelo arcebispo de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert, que também contou com a presença de Dom Clemente Weber, Dom Frei Aloísio Dilli e sacerdotes de diversas dioceses gaúchas. Já de Juazeiro do Norte-CE, da diocese de Crato, veio o padre Vileci Vidal. Ele foi o responsável pela introdução do tema do encontro: “Justiça e Profecia a Serviço da Vida”.
Além de questionar os delegados de CEBs sobre como ser profeta nos dias de hoje, padre Vileci realizou diversas críticas, sobretudo, ao governo Federal. Programas sociais e a falta de visão crítica do povo, a desocupação de residências por pessoas de baixa renda para obras da Copa do Mundo, o modelo de produção capitalista e a concentração de riqueza nas mãos da burguesia foram alguns dos temas tratados.
Conforme padre Vileci, o fato das CEBs resistirem e preservarem o caminho de unir a fé com a luta pela libertação e a vida concreta do povo, revela que as comunidades estão no caminho da profecia. Os profetas e profetizas seriam pessoas comuns, com os mesmos anseios da população.
- O que os profetas têm de diferente é essa mania de buscar sempre o que Deus quer nos dizer através dos acontecimentos. Além dessa teimosia de transmitir aos outros pela sua forma de viver e pela palavra o que lhes parece que Deus está querendo dizer – explica padre Vileci.
Nesta sexta-feira, os delegados presentes em Santa Maria participam de oito mini plenárias em paróquias pela cidade. Os temas tratados serão Justiça na Bíblia e no Mundo; A Vida Missionária das CEBs; CEBs e a Vida do Planeta; CEBs: Mística e Espiritualidade nas Romarias; Profetas e Profetisas de ontem e de hoje; CEBs e Juventude: desafios e perspectivas; As CEBs e os Movimentos Sociais; e Macro Ecumenismo e a Vida das CEBs.
No sábado, os participantes voltam ao ginásio da Escola Medianeira onde haverá uma plenária para apresentação dos relatos das reuniões desta sexta. Já no domingo, será realizada a leitura para aprovação da Carta do 13º Encontro de CEBs e dos compromissos assumidos pelo Regional Sul 3 e CNBB.
O encontro é organizado pela CNNB Regional Sul 3, Arquidioceses e Dioceses do Rio Grande do Sul e Arquidiocese de Santa Maria. O evento conta com representantes da Igreja Católica, Igreja Episcopal Anglicana, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Metodista e religiões de matrizes africanas.
Miniplenárias desta sexta-feira em Santa Maria (das 9h às 19h)
1. Justiça na Bíblia e no Mundo
Local: Igreja Nossa Senhora da Glória
Ministrantes: Padre Alex Koplemburg e Reverendo Humberto
Responsabilidade: CEBs Cachoeira do Sul e Novo Hamburgo
2. A Vida Missionária das CEBs
Local: Igreja Nossa Senhora das Dores
Ministrantes: Padre Adilson e Padre Dirceu Benincá
Responsabilidade: CEBs Caxias do Sul e Cruz Alta
3. CEBs e a Vida do Planeta
Local: Igreja Santa Catarina
Ministrantes: Frei Sergio, Ricardo Rossato e Pilato Pereira
Responsabilidade: CEBs Santa Cruz do Sul e Passo Fundo
4. CEBs: Mística e Espiritualidade nas Romarias
Local: Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
Ministrantes: Frei Wilson, Adelaide Klein e Ana
Responsabilidade: CEBs Porto Alegre, Guaíba e Gravataí
5. Profetas e Profetisas de ontem e de hoje
Local: Igreja São José do Patrocínio
Ministrantes: Padre Leo Konsen e Irmã Lucia Weiler
Responsabilidade: CEBs Santo Ângelo e Uruguaiana
6. CEBs e Juventude: desafios e perspectivas
Local: Catedral Metropolitana
Ministrantes: Edson Tomassin e Mateus Lesina
Responsabilidade: CEBs Canoas e Pelotas
7. As CEBs e os Movimentos Sociais
Local: Igreja Nossa Senhora de Fátima
Ministrantes: Waldir Bom Gass, Irmã Vilma Pretto e Pastora Nancy
Responsabilidade: CEBs Bagé e Rio Grande
8. Macro Ecumenismo e a Vida das CEBs
Local: Igreja São João Evangelista
Ministrantes: Dom Francisco e Padre Ireneu Stertz
Responsabilidade: CEBs Santa Maria e Frederico Westphalen

Participantes vieram de todo o Rio Grande do Sul. E eles ficarão na cidade até domingo



Por Maiquel Rosauro

(texto e fotos) da assessoria de imprensa do evento


*********




Liane Oliveira e o Frei Andrei vieram da Arquidiocese de Pelotas

A sexta-feira foi um dia de debates nas plenárias do 13º Encontro Estadual de Comunidades Eclesiais de Base

Há três dias, Santa Maria reúne uma mobilização sobre a fé e a vida na sociedade por meio do 13º Encontro Estadual de Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). Na última sexta-feira, o evento foi marcado por plenárias em oito paróquias do município. Estas debateram aspectos religiosos e sociais com representantes de quatro arquidioceses e 14 dioceses do Estado. Os relatos serão apresentados no sábado, por meio de uma plenária realizada no ginásio da Escola Medianeira.
A iniciativa ocorre até domingo, quando será realizada a leitura para aprovação da Carta do 13º Encontro de CEBs e dos compromissos assumidos pelo Regional Sul 3 e CNBB. A Catedral Metropolitana de Santa Maria foi um dos locais de debate. Cerca de 180 jovens conversaram sobre o seguinte tema: “CEBs e Juventude: desafios e perspectivas”. Na pauta das discussões estavam assuntos atuais como a violência, os acidentes de trânsito, as drogas, o extermínio, entre outros. “O jovem cristão tem o compromisso com a construção do reino de Deus e com a vida”, explica o participante Mateus Lesina.
O frei Andrei Ors-Emer veio de Pelotas para participar do encontro. Ele comenta que, hoje, a tarefa da igreja não é chamar o jovem para participar, mas o correto é: “A igreja inserir- se na realidade do jovem”. Ele ainda lembra que sua paróquia promove atividades voltadas a juventude como encontros de formação e visita as famílias de jovens que se afastaram da igreja.
A integrante da coordenação da pastoral da juventude da Arquidiocese de Pelotas, Liane Oliveira, ainda comenta que um dos encontros de formação realizado pela pastoral é o “Na contramão”, que aborda assuntos prejudiciais aos jovens



Nenhum comentário: