Loading...

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

CEBs romeiras - parte III



A HISTORIA DAS CEBS ROMEIRAS NA A.L. E CARIBE
(Seguindo as cinco referências da cristologia)
1. (SAIR) Foram passos pequenos, dentro do mesmo “modelo” de Igreja, procurando não muda-lo, mas melhorá-lo: Barra do Pirai, Osasco, Pirambú, Nisia Flores, San Paulo do Potengi (Brasil), San Miguelito (Panama), Santiago de los Caballeros (Republica Dominicana), Choluteca (Honduras)

Pouco a pouco o Sensus fidelium, levou as comunidades mais longe do que o documento de Medellin 15,10: Riobamba e Sucumbios (Equador); rio Lempa (El Salvador), Vitoria (Espírito Santo).

@ Em Medellin, os Textos do Concilio Vaticano foram mais citados (231) que os textos papais (não chegam a 15 vezes).ava

2. O ENCONTRO COM OUTROS
Na A.L. muita coisa acontecia:
- Miguel Arrais e as ligas camponesas, no Brasil; movimentos rurais na Argentina e Paraguai; os indigenistas no México, Bolívia, Equador.
- O método de Paulo Freire ajudava as pessoas a pensar e recuperar a sua fundamental dignidade humana de ser sujeito e participar em tudo o que diz respeito à vida.

No momento em que se procurou ver os sinais dos tempos (Vaticano II) foi necessário fazer análises da realidade e daí o conhecimento das vítimas dos sistemas, que já não eram estatísticas internacionais, mas Juanita... Pedro del Lempa..., a terra sem males aparecia com um nome mais conhecido: Bairro Vietnam de Choluteca... Agua Doce, em El Salvador, colônia do lição em S.Paulo
A defesa da justiça e da vida colocou católicos e não católicos, cristãos e outros, nas mesmas praças, nas mesmas prisões, e nas mesmas tumbas sem nome...
O Criador e Pai de todos não podia querer que seus filhos e filhas fossem estraçalhados ao defender o único dom que lhes sobrava, a própria vida.
Para que o nome de Deus não fosse blasfemado nem sua obra fosse destruída, entre nós, muitos cristãos arriscaram a própria vida.
@ Neste período, o caminhar pastoral se alimenta num encontro com os profetas: Isaias, Jeremias, Amós e um estudo constante sobre o livro do Êxodo (sofrimento do povo, libertação, a caminho da terra sem males...)

3. PROCLAMANDO A BEM-AVENTURANÇA DO MARTIRIO
As instituições não se converteram, então a alternativa foi a de calar os profetas os profetas, desmoralizando-os e suprimindo-os.
NOSSOS MÁRTIRES: de 3 BISPOS, 72 sacerdotes, 17 religiosas, 1000 membros de CEBs, 3 Pastores evangélicos.

4. AS CEBs FORAM ALEM DAS SUAS PROPRIAS FRONTEIRAS.
- As CEBs deram apoio aos movimentos sociais, ecológicos, culturais e de cidadania... Nunca se organizou um partido representativo dos católico . Membros das CEBs não tomam armas. Apostam nas mudanças sociais possíveis e na não violência ativa (Direitos humanos, Helder Câmara).
- Não se conhece casos em que comunidades Eclesiais de Base, como tal, tenham deixado a Igreja Católica, como aconteceu com grupos da renovação carismática na Guatemala, nos Estados Unidos e mesmo no Brasil .
Elas, assumiram os 4 passos do Vaticano II, que foram também muito caros à Reforma Evangélica do século XVI:
1) A supremacia da Palavra de Deus,
2) A centralidade de Cristo,
3) A regra última da consciência,
4) A prioridade da graça

- Houve constante pressão do Vaticano e mesmo intervenções “punitivas” sobre teólogos, biblistas e bispos.
- Aumentando a repressão militar e de grupos econômicos, as Igrejas locais mais atingidas e CEBs, procuram apoio internacional

Quando todo o sistema dominante desmoralizava os cristãos comprometidos, a comunidade e seus líderes se levantaram para falar por eles: Evaristo Arns, Aloysio e Ivo Lorscheiter, Helder Câmara (Brasil), Mons. Proaño (Equador), Mendes Arceo (México), Enrique Angelelli (La Rioja, Argentina), Arcebispo de La Paz, Mons. Manriquez, Oscar Romero, Arturo Rivera y Damas (El Salvador) ...

@ REFLEXÃO BÍBLICA centrou-se bastante em torno à PAIXÃO, CRUCIFICAÇÃO DE JESUS, e dos MARTIRES da IGREJA de ontem (ATA DOS MÁRTIRES) e de “hoje”.
5. (A tumba horas antes a Ressurreição).
Parece que tudo está terminado. Fechou-se o parêntesis da esperança, chamado Jesus. – Ninguém fazia a hipótese da nova etapa (compraram lençois, mirra para embalsamar o crucificado). Estamos convocados por ele para o começo da etapa definitiva.
- Voltando ao primeiro amor (Galilea) não é um ponto de chegada, senão de partida para daí sair ao mundo, não a Jerusalém. Todos os povos (não só os judeus, os católicos, os cristãos...) serão protagonistas. Ficar organizando em Jerusalém seria o fim da utopia. A Igreja terminaria como museu. Mas a surpresa de Jesus é que tudo está começando sem um programa detalhado que não permite criatividade. A Igreja será a constante surpresa do Espírito.

@ Encontro com o Jesus histórico e com o Cristo da fé, na perspectiva do reinado de Deus.
Três passos decisivos:
1) Retomar a referencia do “Caminho”;
2) Arcar com as consequências de que os “Últimos serão os primeiros”;
3) A Igreja é missão que só universalmente inclusivo, se partir dos mais pobres.
As propostas para toda ação eclesial:
a) Seguimento de Jesus “o caminho” – “religião” pode ser perigosa;
b) Os últimos são primeiro, com a graça do “Shalon” aos que sofrem;
c) A missão é um modo de ser: apreciativo, comunicativo, comunitário.

Padre Marins

Nenhum comentário: