Loading...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A Tv de plasma e o brado repugnante!




Compartilho com vocês alguns fatos do dia, tão longo, tão doloroso... enfim..

Estar em contato com aquele povo pele a pele, corpo a corpo, sentindo seus corações destroçados, seus olhos marejados, sua alma cansada de tanta peleja... Meus irmãos, povo sofrido, que estão sem comida, sem roupa, sem casa, sem esperança...


Não bastasse a violência física e a violação de direitos que sofreram, continuam sendo atacados na sua dignidade, minuto a minuto, nas redes sociais, por pessoas que se dizem cidadãos de bem. Depois de testemunhar tanta dor, ao chegar em casa, deparo-me com uma postagem que me tirou o sossego. Mais um ardiloso ataque. Muito forte para esse coração já tão partido de ver tanta injustiça!


O estopim das agressões de hoje foi a foto de um morador carregando sua adorável TV de plasma, sonho de muitos há dois anos antes (hoje, compra-se pagando até menos de R$ 100,00 por mês). E ela estava lá, brilhando, imponente. Nos ombros daquele humilde morador ela reinava absoluta, digna de todos os olhares, todas as atenções.

Pobre homem! Seu sonho de consumo, alimentado por esse mesmo sistema que o exclui e o explora, agora objeto da mais explosiva ira de pessoas que insistem em dizer que ele não merece aquele lindo objeto. Brados repugnantes. “Nem eu tenho!” Bradam as vozes indignadas. “Deve ser roubada!”, dizem os mais inflados pelo ódio. Uma professora (sim, professora, a classe mais explorada de todos os trabalhadores e que deveria ter o mínimo de consciência da luta de classes), vai mais além: “Sem teto, nada! Sem vergonha!”... (Uma PAUSA aqui para respirar fundo... )


Pessoas em sua grande maioria, trabalhadora, sofredora, que vende sua força de trabalho dia a dia, fazendo trajeto casa-trabalho, que cai no canto da sereia desse vil sistema. Esse capitalismo é tão perverso que corrompe a mente, o coração e alma desses trabalhadores, jogando-os contra o próximo, o oprimido como ele!

Classe média explorada, pseudo-burguesa, que tem carro do ano (nem sempre) financiado em 60 longas prestações, moradia popular paga a duras penas, endividados em sua maioria pelos empréstimos, cartões de crédito e seus juros exorbitantes! E o pior: não reclamam! Ao contrário, acham que têm isso porque trabalham muito e pagam seus impostos sorridentes e felizes!

Acorda, minha gente!

Vivemos num país onde quem paga as contas de toda a corrupção, caixa dois etc, etc, somos nós, os trabalhadores, o povo oprimido! Alimentamos cobra que nos engolem todos os dias com suas falácias cintilantes de sonhos consumistas! Consciência de classe se forja no suor da luta pelos nossos direitos e pelos direitos de quem não teve oportunidades como nós, de ter um mínimo de estrutura para possuirmos os bens que temos: casa, carro, eletros, formação acadêmica, etc.

Mais uma vez, o migrante, o negro, o pobre, o favelado é humilhado pelo seu PRÓXIMO: por aquele que teve a mesma origem humilde, por aquele que é tão explorado quanto, por aquele que é tão ingênuo quanto. Ser humilhado por burguês, historicamente normal!

Mas ser humilhado pelo seu semelhante, que por alguma razão se julga superior, é demais pra mim!

O pobre do Pinheirinho não tem direito a ter uma TV de plasma.

A mesma que reina soberana na sala do pseudo-burguês. A mesma que todos os dias anestesia as mentes de quem a assiste. O pivô de uma ardilosa fotografia.

E o pobre do morador do Pinheirinho apanha, que nem cachorro morto, mas feliz por possuir aquele objeto. O “Precioso”! “Alguém que, numa necessidade, não consegue jogar fora um tesouro, está acorrentado.”- Aragorn, em o Senhor dos Anéis. Resta a pergunta: quem está mais acorrentado?

O morador que luta bravamente por seus direitos, mesmo apanhando de tudo e de todos, ou o cidadão “de bem” que assiste a tudo de sua “Preciosa” e acredita em cada conceito que lhes incutem a grande mídia a serviço dos poderosos? Encerro com a frase de uma mulher que admiro, Rosa Luxemburgo: “QUEM NÃO SE MOVIMENTA, NÃO PERCEBE AS CORRENTES QUE O PRENDEM!”. Liberte-se! Esses senhores, DEMÔNIOS CAPITALISTAS, não querem só tua imobilidade e cegueira! Querem corromper tua alma!!

Elis Silvério

Nenhum comentário: