Loading...

sábado, 18 de junho de 2011

Jacareí: é legal, mas é imoral! Vereadores aprovam aumento de 100% nos salários

Projeto foi colocado na ordem do dia de última hora, o que gerou protestos da oposição e do público presente

Em um clima tenso, marcado por ofensas e discussões, a Câmara de Jacareí votou na sessão de terça-feira, 14, projeto de lei de autoria da mesa diretora da Casa, composta pelo presidente Itamar Alves (PDT) e os vereadores Marino Faria (PT) e Dario Burro (DEM), que aumenta em quase 100% os salários dos vereadores a partir de janeiro de 2013.

O salário dos parlamentares passará dos atuais R$ 5.507,62 para R$ 10.021,18.O projeto, que teve 8 votos favoráveis e 4 contrários, foi incluído na ordem do dia pouco antes do início da sessão.

A proposta não estava na lista de projetos que seriam discutidos no encontro, o que gerou protesto da oposição. “O projeto entrou na ordem do dia de última hora e nós da oposição não fomos consultados. Não tivemos conhecimento disto. Se esse processo estivesse na ordem do dia, o plenário estaria lotado. Mas, eles viram que a Casa estava vazia e colocaram o projeto para ser votado. Fazem tudo pelas costas da população”, afirmou o vereador Diobel Fernandes (PSDB).

O vereador Valmir do Parque Meia Lua (DEM), também contrário a propositura, justificou seu voto afirmando que “em uma cidade onde há graves problemas na saúde pública, pessoas recolhendo lixo em ruas para sobreviver e muitas outras desigualdades é um absurdo elevar salários de vereadores que pouco fazem pelo povo”. Dario Burro disse aprovar o aumento do salário, mas reprova a forma em que o projeto foi levado à votação. “Os vereadores de Jacareí deixaram de merecer o aumento ao colocar o projeto de última hora na ordem do dia. É uma atitude covarde”.

O vereador José Antero (DEM) contrariou os argumentados dos vereadores que votaram contra. Ele disse que o projeto é de conhecimento de todos os vereadores e está sendo discutido desde a gestão na presidência do vereador Diobel. “A impressão que tenho é que as pessoas tem amnésia. Falar que desconhece o projeto é faltar com a verdade”.Laudelino Amorin (PT) também defendeu a propositura. “A falta de compreensão com o projeto só faz desvalorizar o trabalho dos vereadores”.

O presidente da Casa, vereador Itamar Alves, falou sobre a legalidade do aumento amparado em legislação federal que permite a vinculação de salários entre as três esferas do Legislativo, deputados federais (R$ 26,7 mil), estaduais (20 mil) e vereadores, onde os índices variam de 10% a 75%, conforme o número de habitantes de cada cidade. “É um procedimento legal e foi aprovado por cinco vereadores para ser colocado na ordem do dia para votação”.A votação foi ovacionada pelo público presente, cerca de vinte pessoas.

O adolescente João Pedro Costa Poli, 18, esteve no plenário pela primeira vez e se decepcionou com a postura dos vereadores. “Tinha a expectativa de ver um debate voltado para os interesses da população, ver uma casa unida por ideais relevantes. Acabei me deparando com uma discussão partidária, uma rincha sem sentindo em torno de interesses próprios.

Estou decepcionado”, disse.Poli assistiu à sessão com um grupo de amigos e estudantes. Eles pintaram o nariz de vermelho, lembrando a figura do palhaço.Durante a sessão os vereadores aprovaram ainda o aumento do salário do prefeito, que vai passar de R$ 13.718 para R$ 17 mil na próxima legislatura.Os projetos seguem para a sanção do prefeito Hamilton Ribeiro Mota (PT).A assessoria de comunicação da prefeitura não quis comentar o assunto.

QUEM VOTOU EM FAVOR DO AUMENTO:

Rose Gaspar (PT),

Edinho Guedes (PPS),

Laudelino Amorim (PT)

José Antero (DEM)

Osvaldo Arouca (PR)

Professor Marino Faria (PT)

Adriano da Ótica (PPS)

Alex da Fanuel (PT)

QUEM VOTOU CONTRA O AUMENTO:

Pastor José Roberto (PSDB)

Valmir do Pq. Meia Lua (DEM)

Diobel Fernandes (PSDB)

Dario Bueno (DEM)


Fonte: Jornal O Semanário

Nenhum comentário: