Loading...

segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Pai Nosso dos Excluidos

Pai Nosso dos Excluídos
Pe. Dirceu Benincá
Pai Nosso que estais na estrada, na rua, na favela,
debaixo dos viadutos, desempregado, sem terra,
sem esperança, sem dignidade, sem chance…
Santificado seja o teu sangue, a tua luta, a tua vida…
Venha a nós o teu calor, a tua sensibilidade e a tua misericórdia…
Seja compreendida e aceita a tua presença hoje, amanhã, em toda hora e lugar!
Porque és o Deus dos pobres, dos pequenos, dos desvalidos,dos esquecidos, dos violentados e excluídos…
O Deus que mora nos outros e em cada um(a) de nós.
Que está na roça e na cidade,
no céu e na terra onde tudo isso acontece.

O pão nosso de cada dia,
o qual nem sempre chega em todas as mesas, ainda que assim rezemos sem cessar.
Dá-nos continuamente o pão da igualdade, da autonomia,da fraternidade e da cidadania, a nós e a todos os que têm fome dele.
Perdoa-nos… Mas, de que Senhor Deus?
De muitas coisas que fizemos quando não deveríamos fazer
ou que não fizemos quando deveríamos ter feito.
Perdoa-nos por não termos ajudado, por não termos partilhado,
por não termos praticado a justiça, por não termos aberto a nossa mão,
o nosso coração e os nossos braços para acolher,
para perdoar, para servir tal como teu Filho fez e ensinou.
Perdoa-nos assim como nós perdoamos.
Mas, nós perdoamos a quem mesmo?
Somos capazes de perdoar de verdade?
Perdoa principalmente, ó Pai,
a nossa indiferença diante da dor e do sofrimento dos outros.
Não nos deixes cair nas tentações da hipocrisia, da incoerência, da falta de fé,
de esperança e de solidariedade.
Livra nossos irmãos da humilhação de terem a rua como morada,
de andarem sem eira nem beira, de serem mortos em série e estupidamente.
Livra-nos dos nossos fracassos como cristãos, como militantes,
como homens e mulheres que buscam a nova terra e o novo céu,
onde queremos um dia chegar.
Pois tudo é teu: o Reino, o pão, o poder, a glória… a vida e a vitória para sempre,
quando todos haveremos de ressuscitar da noite escura e da rua sem saída.
Amém!
Axé! Awêre! Aleluia!

Nenhum comentário: